Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Bebidas

Propagandas terão que informar mais sobre produtos

Redação Bonde
27 abr 2007 às 18:25
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O Ministério da Saúde adverte: o álcool em excesso causa inúmeras doenças como câncer de fígado e lesões cerebrais. Esta é uma das frases que poderão substituir a advertência "beba com moderação", na propaganda de bebidas alcoólicas com mais de 0,5 graus de álcool, como cervejas e cooleres.

A mudança faz parte da regulamentação que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) prepara para o próximo mês. A idéia é regular a publicidade e prevenir o abuso de álcool. A medida integra a Política Nacional sobre o Álcool, que aguarda aprovação do governo federal.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Segundo o presidente da Anvisa, Dirceu Raposo de Mello, a intenção do governo não é proibir a propaganda das bebidas. "Queremos garantir que o indivíduo tenha informações corretas sobre o produto que vai usar e saiba dos danos que o uso excessivo do produto pode levar", afirmou Mello acrescentado que este é um processo educativo.

Leia mais:

Imagem de destaque
Competição de gigantes

Google tenta superar 'humanidade' de novo ChatGPT com assistentes de IA que erram menos

Imagem de destaque
Em junho

Filhos de Maradona entram com processo para impedir leilão da Bola de Ouro do pai

Imagem de destaque
Descobertas de anticorpos

Após morte do pai por Covid, cientista brasileira em Harvard busca novos antivirais

Imagem de destaque
Mudança de estereótipo

'Dirija como uma mulher'; França lança campanha para reduzir mortes no trânsito


A propaganda também fará alerta sobre a associação entre o abuso de álcool e as mortes no trânsito. Nesta quinta-feira (25), o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, lembrou que o abuso de álcool está envolvido com metade dos acidentes nas estradas e que são necessárias alterações na veiculação de propagandas de bebidas, "um forte fator de estímulo ao consumo irresponsável', afirmou.

De acordo com Temporão, 35 mil pessoas morrem por ano no trânsito. "O país gasta R$ 24 bilhões em todo o contexto dos acidentes de trânsito, que envolvem também o uso de álcool", disse. Na ocasião, Temporão explicou à jornalistas o processo de licença compulsória do anti-retroviral Efavirenz. As informações são da Agência Brasil.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade