Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Transexualidade

Sueco de 73 anos fará operação para mudar de sexo

BBC Brasil
16 abr 2007 às 13:49
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Ele sempre teve a certeza de que não era um homem. Agora, aos 73 anos, um sueco está prestes a se tornar a pessoa mais velha do mundo a trocar de sexo. "Quero morrer como uma mulher", disse Loise à BBC Brasil. Loise é o nome escolhido por ele para viver a nova vida de mulher. Por recomendação dos médicos, a identidade real de Loise não foi revelada.

Desde os anos 60, quando a Suécia realizou as primeiras cirurgias de mudança de sexo, Loise tenta se transformar em mulher. Foram muitas as consultas com os médicos encarregados de aprovar o tratamento, em vão. Até que o psiquiatra Bengt Lundström, o mais conceituado especialista sueco em transexualismo, se interessou pelo caso.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


As regras para a aprovação dos casos de troca de sexo na Suécia vem se tornando cada vez menos rígidas - anteriormente, era muito mais díficil um caso ser aprovado. "Loise é um exemplo clássico de transexualismo e uma pessoa que durante quase toda a vida lutou pela sua verdade", disse o Dr. Lundström, professor da Universidade de Gotemburgo. "Foi humilhada através dos anos e tem vivido uma vida extremamente difícil. Chegou a hora de mudar isto."

Leia mais:

Imagem de destaque
Futebol americano

Causa da morte de O. J. Simpson é revelada em sua certidão de óbito

Imagem de destaque
Impasse

ByteDance diz que prefere fechar TikTok nos EUA do que vender aplicativo

Imagem de destaque
Ataques políticos

Fala sobre escravidão constrange presidente de Portugal em festa da Revolução dos Cravos

Imagem de destaque
Fase final do concurso

Jovem de Altônia é favorita no Miss Teen Universe 2024 em Punta Cana


Cirurgia

Publicidade


Segundo o psiquiatra, a troca de sexo de Loise vai ser formalmente aprovada pelas autoridades suecas nos próximos meses. A cirurgia será realizada no prestigiado Instituto Karolinska, em Estocolmo.


Mas o processo de mudança de sexo já vem sendo preparado há três anos. Durante esse período Loise tem tomado vários hormônios e desenvolveu seios de fazer inveja a muitas candidatas ao silicone.

Publicidade


A mudança de nome e identidade foi aprovada pelas autoridades suecas no início do ano, quando foram emitidos também seu novo passaporte e a carteira de motorista.


A realidade

Publicidade


Ela conta que tinha três anos de idade quando percebeu que se sentia, na verdade, uma mulher. "Eu queria me livrar dos meus órgãos masculinos, mas minha mãe me impediu", disse.


Durante toda a infância, preferiu as roupas das irmãs. Chegava a ir à escola vestida como uma menina e jogou as calças compridas em um lago perto de casa.

Publicidade


Na idade adulta, Loise tentou viver uma vida "normal" como homem. Chegou até a se casar - mas o casamento durou pouco. "Não consegui… não dava certo. Não era eu."


Vida de mulher

Publicidade


Durante todos esses anos, Loise sempre se vestiu e se maquiou como uma mulher. Seu armário é repleto de roupas femininas e de caixas de jóias e bijuterias.


Loise atualmente toca órgão e piano durante os cultos religiosos de uma igreja protestante no sul de Gotemburgo, onde vive. Vestida de mulher.

Publicidade


"Ainda há os que riem de mim, quando me vêem vestida assim. Mas tenho orgulho de ser mulher", disse Loise. "Em breve, vou entrar para o (livro dos recordes) Guiness", acrescentou, rindo.


"As crianças, eu perdôo. Mas os adultos, nunca. Não se deve ridicularizar, nem humilhar uma pessoa. Não se deve ferir sentimentos. Porque nunca se sabe o que está por trás, o que leva uma pessoa a ser ou agir de uma determinada forma", disse Loise.

"Algumas vezes, pensei em suicídio", revelou.


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade