Pesquisar

Canais

Serviços

- Elsa Caldeira/Divulgação
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Por reajuste salarial

Servidores públicos do Paraná protestam em Curitiba no dia da 'batalha do Centro Cívico'

Marcos Roman/Grupo Folha
29 abr 2022 às 16:22
Continua depois da publicidade

Servidores públicos estaduais de diversas categorias estão participando de um protesto em Curitiba desde às 9 horas da manhã desta sexta-feira (29). Os manifestantes que aderiram ao ato promovido pelo Fórum de Entidades Sindicais (FES) pedem reposição salarial de 35,5% na data-base de maio. 

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


O manifesto também como objetivo para rememorar a ação violenta da polícia militar contra a classe de trabalhadores durante protestos que aconteceram na capital do Estado no dia 29 de abril de 2015, há exatos sete anos. Na ocasião, 200 pessoas ficaram feridas durante uma ação violenta da PM que usou bombas, gás lacrimogêneo, balas de borracha e spray de pimenta para conter protestantes que se posicionaram contra as propostas de mudança no regime da Paraná Previdência.

Continua depois da publicidade


Os servidores públicos paranaenses que lutam pela reposição salarial de 35,5% se reuniram na Praça Santos Andrade, localizada próximo ao Shopping Muller, por volta das 9h15. No local, representantes de diversos sindicatos discursaram em cima de um caminhão de som. “Presidentes de cada um dos cerca de 15 sindicatos que estão participando desse protesto tiveram seu momento de fala. Conseguimos reunir cerca de três mil servidores de várias cidades do Paraná, incluindo Londrina, de onde vieram 35 manifestantes”, informou Ronaldo Gaspar, presidente do Sindiprol/Aduel (Sindicato dos Professores do Ensino Superior Público Estadual de Londrina e Região).


Gaspar disse que o protesto deve terminar por volta das 13 horas. “Daqui da Praça Santos Andrade, vamos seguir em passeata até o Centro Cívico, onde nos concentraremos em frente ao Palácio do Governo. Nosso objetivo é chamar a atenção para a alta defasagem salarial que estamos enfrentando. Exigimos reposição de 35,5% na data-base de maio, pois estamos sem reajuste desde janeiro de 2016. Se somarmos a inflação de abril, que deve ser a maior desde 1995, a situação ficará insustentável com uma defasagem chegando a cerca 57% até o final do ano”, enfatizou.


O presidente do Sindiprol/Aduel ressaltou que até o momento o Governo do Estado não se manifestou em relação à reposição salarial dos servidores públicos paranaenses. “Há uma reunião agendada com representantes das Secretaria da Administração e da Previdência para hoje, às 11h30. Esperamos que nesse encontro seja apresentada alguma proposta do governo”, concluiu.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade