Pesquisar

Canais

Serviços

A viagem com a acomodação precária já durava 4 dias: foram 3 mil quilômetros desde o interior a Paraíba; destino era Chapecó (SC) - Divulgação/PRF
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Em condições degradantes

Caminhão transportava 33 trabalhadores em baú

Loriane Comeli - Redação Bonde
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

Policiais rodoviários federais prenderam às duas horas da madrugada desta sexta-feira (23) um agenciador e um motorista que conduziam 33 trabalhadores em condições desumanas no baú de um caminhão. Os homens estavam sendo mantidos na trancados no compartimento de 13 metros quadrados, aproximadamente, havia quatro dias, já que a viagem começou em Pato, no interior da Paraíba.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Foram presos o motorista do caminhão Silvan Florentino Coutinho, de 23 anos, e o agenciador Denys Lucena de Araújo, de 24 anos. O caminhão ficou apreendido na Delegacia da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Continua depois da publicidade


Segundo o inspetor Fabiano Moreno, chefe de comunicação social da PRF, os policiais flagraram um caminhão Mercedez Bens, com placas de Pato, no contorno leste da BR-116, em Curitiba. Os trabalhadores estavam trancafiados, todos amontoados e sem ventilação alguma. "Havia alguns redes penduradas ao teto do caminhão e colchões no chão, sem a menor segurança e em condições degradantes para os trabalhadores", relatou Moreno.


Segundo a PRF, o veículo saiu da cidade de Pato na segunda-feira (19) e já tinha rodado cerca três mil quilômetros . O destino era Chapecó, em Santa Catarina, onde os trabalhadores seriam empregados na venda de artigos de couro. Entre os 33 homens, havia um adolescente de 14 anos.


"O aliciador será autuado pelo Ministério do Trabalho por manter trabalhadores sem registro, empregar ilegalmente um adolescente e transportar irregularmente trabalhadores, além das multas da PRF", declarou o inspetor Fabiano Moreno.

Continua depois da publicidade

Ainda segundo ele, o agenciador já se comprometeu com o Ministério Público do Trabalho a pagar pela viagem de volta à cidade de origem dos trabalhadores, em ônibus. A apreensão do veículo ocorreu em uma blitz da PRF com objetivo de identificar tráfico de drogas e armas.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade