Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Nova fórmula

Laboratório fabricava droga para raves no Paraná

Redação Bonde com Agência Estadual de Notícias
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

Policiais do Núcleo da Região Metropolitana da Divisão Estadual de Narcóticos(Denarc) descobriram no Bairro Alto, em Curitiba, um laboratório clandestino usado para produzir a droga sintética conhecida por MD.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Segundo a polícia, essa é uma droga nova que é vendida em festas rave na região de Curitiba. Foram presos Rodolfo Jorge Nemer Nogueira, 26 anos, Elisandra de Oliveira, 32, e Joe Davis Brandini, 29. Com eles, a polícia apreendeu 1.050 cápsulas da droga.

Continua depois da publicidade


"É uma nova droga que está sendo colocada no mercado de entorpecentes. Apenas uma análise química vai dizer qual sua exata composição e qual o seu efeito", disse o delegado Jairo Amodio Estorilio. Conforme explicou os trabalhos começaram há quatro meses e mostravam que a droga à base de pseudoefedrina, precursor da anfetamina, constante da lista de produtos controlados pela Agência Nacional da Vigilância Sanitária – Anvisa –, era distribuída em festas. A droga conhecida apenas por MD provoca efeitos que inibem o apetite e tiram o sono por várias horas. O seu efeito é potencializado com a mistura de bebidas alcoólicas e energéticos.


Segundo os policiais, Rodolfo produzia o entorpecente e Elisandra fazia os contatos para a distribuição. Joe era um dos interessados e tinha encomendado 3 mil cápsulas, ao preço de R$ 10 a unidade, que foram pagas com uma motocicleta Suzuki 750, avaliada em R$ 30 mil. No momento da prisão, ele recebeu 1.050 cápsulas e o restante da encomenda seria retirada assim que fosse produzida.


Os policiais descobriram um laboratório rústico com vários produtos químicos. "Cada cápsula era comprada por R$ 10 e seria vendida por R$ 20 nas festas. Esta primeira parte ia render mais de R$ 20 mil", avaliou. Toda a droga foi encaminhada para o laboratório de toxicologia do Instituto Médico-Legal para ser examinada. A análise vai determinar sua composição e os efeitos no ser humano. Além das cápsulas, foram apreendidos um veículo Omega e a motocicleta que estava sendo trocada pela droga. Os suspeitos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e continuam presos à disposição da Justiça.

Continua depois da publicidade

Leia também:
Homem é executado; bandidos trocam tiros com PM
Adolescente tenta engolir drogas em abordagem policial
Arma de ladrão não dispara e homem sai ileso de assalto


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade