16/01/21
PUBLICIDADE
Entenda

Bolsonaro chama Moro de Judas e diz que ninguém dará um golpe em cima dele

O presidente Jair Bolsonaro chamou neste sábado (2) o ex-ministro Sergio Moro de "Judas" e afirmou a apoiadores na porta do Palácio do Alvorada que ninguém dará um golpe em seu governo.

Valter Campanato/Agência Brasil
Valter Campanato/Agência <a href='/tags/brasil/' rel='noreferrer' target='_blank'>Brasil</a>


Bolsonaro falou sobre golpe a simpatizantes que criticavam o STF (Supremo Tribunal Federal).

"Ninguém vai fazer nada ao arrepio da Constituição, fiquem tranquilos. Ninguém vai querer dar um golpe em cima de mim, não, podem ficar tranquilos", disse.

A declaração foi dada depois de um dos apoiadores citar o Supremo. "Fizemos vaquinha para vir aqui para te dar apoio para repudiar o que aquele Supremo Tribunal Federal está fazendo com o senhor", afirmou um dos presentes.

Pouco depois, em rede social, o presidente publicou um vídeo sobre as suspeitas em relação ao mandante da facada que levou na campanha de 2018. "Os mandantes estão em Brasília?", escreveu.

"O Judas, que hoje deporá, interferiu para que não se investigasse?", disse Bolsonaro, citando o depoimento que Moro prestará neste sábado à Polícia Federal sobre as acusações que fez contra o presidente ao sair do governo.

"Nada farei que não esteja de acordo com a Constituição. Mas também NÃO ADMITIREI que façam contra MIM e ao nosso Brasil passando por cima da mesma Constituição", afirmou o presidente.

A informação divulgada na noite desta sexta-feira (1º) de que Moro prestará depoimento neste sábado, em Curitiba, elevou a tensão nas redes sociais bolsonaristas.

A narrativa nessas redes sociais de aliados de Bolsonaro é de um golpe de Estado em curso arregimentado pelo STF, que nos últimos dias impôs uma série de derrotas a Bolsonaro, como a suspensão da posse de Alexandre Ramagem como novo diretor-geral da Polícia Federal e a derrubada das restrições à Lei de Acesso à Informação.

As hashtags #GolpedeEstado e #GolpedoSTF figuram entre os assuntos do momento no início da madrugada deste sábado, com mais de 250 mil tuítes somando as duas.

A oitiva de Moro foi marcada após o ministro Celso de Mello, do STF, dar o prazo de cinco dias para a corporação ouvir o ex-ministro.

Moro deve detalhar as declarações dadas ao pedir demissão do Ministério da Justiça e Segurança Pública, no último dia 24. Em entrevista à revista Veja, ele afirmou que tem provas para incriminar Bolsonaro e disse que as apresentaria à Justiça.

Moro acusou o chefe do Executivo de tentar interferir na autonomia da PF para ter acesso a relatórios de inteligências e a investigações em curso, o que não é permitido.

Para isso, Bolsonaro queria exonerar Maurício Valeixo do comando da instituição, o que gerou o atrito com o então ministro Moro, e nomear alguém que tivesse relação direta.

Ao se despedir do governo, o ex-juiz da Lava Jato disse que o desejo do chefe do Executivo era indicar Alexandre Ramagem para o comando do órgão.

Ramagem foi chefe da segurança de Bolsonaro após ele ter sido eleito presidente, quando se aproximou da família se tornou amigo do vereador Carlos Bolsonaro, investigado pela PF sob suspeita de articular esquema de disseminação em massa de informações falsas.

Bolsonaro nomeou, de fato, Ramagem para o cargo. O ministro Alexandre de Moraes, do STF, no entanto, suspendeu a indicação por entender que não observava os princípios da impessoalidade e da moralidade pública.

Além dos integrantes da PF, três procuradores da República acompanharão o depoimento.
Talita Fernandes - Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Confira

5 tendências tecnológicas para os aplicativos em 2021

15 JAN 2021 às 17h49
Programe-se

Calendário de vencimento do IPVA 2021 começa nesta segunda-feira

15 JAN 2021 às 17h32
Reduzir a aglomeração

Prefeitura de Londrina estabelece horário do comércio para próxima semana

15 JAN 2021 às 17h18
Investimento de R$ 80 milhões

Governador sanciona lei que altera regras das escolas cívico-militares

15 JAN 2021 às 17h02
Prisão preventiva

Homem é detido em flagrante por crime sexual contra garota de 12 anos em Londrina

15 JAN 2021 às 16h37
Redução de Custos

Governo do Estado congela taxas do Detran-PR pelo segundo ano consecutivo

15 JAN 2021 às 15h40
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados