Pesquisar

Canais

Serviços

Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Relevância digital

Bolsonaro perde vantagem e tem liderança digital ameaçada pela primeira vez, aponta FGV

Camila Mattoso - Folhapress
24 dez 2021 às 12:27
Continua depois da publicidade
Levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da FGV (Fundação Getúlio Vargas) sobre o desempenho dos presidenciáveis nas redes sociais aponta para tendência de queda de Jair Bolsonaro (PL) em todas as plataformas.


É a primeira vez que a liderança de Bolsonaro nas redes aparece ameaçada.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


No Twitter, por exemplo, o presidente já aparece tecnicamente empatado com Lula (PT). Já no YouTube, Ciro Gomes (PDT) ficou bem próximo no número de engajamento em postagens.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


A FGV analisou 82,2 milhões de interações nos perfis oficiais de Bolsonaro, Lula, Ciro, Marina Silva (Rede), João Doria (PSDB) e André Janones (Avante). As postagens foram entre os dias 1 de novembro e 19 de dezembro.


No YouTube, Ciro chegou a ficar à frente de Bolsonaro em três das sete semanas analisadas. O pedetista apresentou picos durante a última semana após ser alvo de uma operação da Polícia Federal em 15 de dezembro.


A chegada de Lula em Bolsonaro se deu também no Instagram e, segundo a FGV, a melhora no desempenho do petista tem relação com posts sobre sua viagem à Europa e a entrevista concedida ao podcast Podpah.

Continua depois da publicidade


Sergio Moro se manteve como terceiro candidato com mais interações no Twitter e no Instagram. Janones se destaca no Facebook, onde é o terceiro colocado em interações, mas tem baixa atividade nas outras plataformas. Marina e Doria apresentam baixa interação em todas as redes.


No início de dezembro, o chefe da diretoria da FGV, o sociólogo Marco Aurélio Ruediger, que disse ao Painel que a grande repercussão do Lula no Podpah poderia marcar um novo momento de participação da esquerda nas redes sociais, ambiente que tem sido de domínio hegemônico da direita nos últimos anos.
Ruediger também afirmou à época que o modelo das lives de Jair Bolsonaro (PL) mostrava desgaste.

Continue lendo