26/02/21
PUBLICIDADE
Fala do presidente...

'Eu não vou tomar vacina e ponto final, problema meu', diz Bolsonaro

Carolina Antunes/PR
Carolina Antunes/PR


O presidente Jair Bolsonaro, que já contraiu o novo coronavírus neste ano, repetiu que não vai tomar vacina contra o coronavírus, mas que dará sinal verde à compra e aplicação de todos os imunizantes que forem autorizados pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).


Nesse pacote está, inclusive, a Coronavac, a vacina que entrou no meio de uma disputa entre o presidente e o governador paulista, João Doria (PSDB), seu rival político, que anunciou importação, fabricação e até data de imunização de forma independente do governo federal.

"Eu não vou tomar vacina e ponto final. Minha vida está em risco? O problema é meu", disse o presidente em entrevista ao Brasil Urgente, da Band, nesta terça-feira (15).

Bolsonaro afirmou que vai liberar R$ 20 bilhões para a compra dos imunizantes e que a vacinação não deve ser obrigatória. "É universal, à disposição de quem quiser. Mas tem que ter responsabilidade. O fabricante fala que não é responsável por efeito colateral nenhum", disse.

Mesmo com a vacina contra a Covid-19 no horizonte, já em aplicação no Reino Unido e nos Estados Unidos e com data para começar no Brasil (caso os testes se mostrem seguros), cresceu a parcela da população brasileira que não pretende se imunizar, segundo pesquisa Datafolha.

Ao todo, 22% dos entrevistados disseram que não pretendem se vacinar, enquanto 73% disseram que vão participar da imunização -outros 5% disseram que não sabem. Pesquisa nacional feita em agosto apontava que apenas 9% não pretendiam se vacinar, contra 89% que diziam que sim.

Um terço dos brasileiros que dizem sempre confiar no presidente Bolsonaro afirmou que não vai se vacinar, enquanto esse número cai para 16% entre os que dizem que nunca confiam no chefe do Executivo.

O presidente repetiu, ainda, que confia em medicamentos que estudos já mostraram que não têm eficácia e podem trazer outros riscos de saúde, como a hidroxicloroquina e a ivermectina. "Salvou minha vida", disse o presidente, que já contraiu o vírus. "E minha mãe de 93 anos tem sempre uma caixa do lado dela."

"Alguns falam que não tem comprovação científica... Eu sei disso, mas não tem contraindicação. Está aí à disposição, pegou, toma", afirmou.
Mesmo com alta de casos e mortes por coronavírus nas últimas semanas, Bolsonaro reafirmou que acredita que a pandemia está no final e que "estamos próximos a uma imunidade de rebanho" –tese rebatida por infectologistas.

O aumento, segundo o presidente, é devido ao final da campanha nas eleições, assim como as pessoas "que se cansaram de ficar em casa".

Bolsonaro também voltou a pedir que os governadores e prefeitos não tornem a quarentena mais rígida. "Não fechem tudo porque se não virá os caos e só Deus sabe o que vai acontecer com o Brasil", disse Bolsonaro.
Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Decreto estadual

Londrina e cidades da região metropolitana vão seguir lockdown na íntegra

26 FEV 2021 às 18h11
Decreto Estadual

Arapongas suspende atividades não essenciais a partir de sábado

26 FEV 2021 às 16h59
Nova quarentena

Com aumento de casos, Maringá segue medidas anunciadas pelo Governo do Paraná

26 FEV 2021 às 16h43
Críticas

'Sou imbrochável', diz Bolsonaro ao alegar que sofre ataques 24 horas por dia

26 FEV 2021 às 16h28
Covid-19

Deputado Soldado Adriano, vice-líder do governo na Assembleia, testa positivo para Covid-19

26 FEV 2021 às 16h10
Sujeito a multa

Empresas devem entregar os informes de rendimentos até sexta-feira

26 FEV 2021 às 15h52
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados