Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Mato alto

Secretário minimiza bate-boca de Barbosa com vereador

Loriane Comeli - Redação Bonde
02 jun 2009 às 08:25
Terrenos baldios abandonados pelos proprietários incomodam toda a população; secretário diz que vai resolver problema, mas não revela como - Folha de Londrina/Arquivo
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O secretário de Governo de Barbosa Neto (PDT), José do Carmo Garcia, tentou diminuir a importância do bate-boca travado, por meio da imprensa, entre o prefeito e o vereador Roberto Fu, do mesmo partido. O desentendimento se deu em razão da promulgação pela Câmara Municipal do projeto que determina à prefeitura que corte o mato de terrenos particulares quando o proprietário não o fizer.

O autor do projeto foi Roberto Fu, e Barbosa, além de alegar que a lei é inconstitucional – por ter vício de iniciativa – disse que o município sequer tem condições de cortar o mato das áreas públicas. O prefeito também insinuou que Fu quer apenas aparecer na imprensa. Já o vereador salientou que a medida visa atender as reclamações generalizadas da população, principalmente de quem mora próximo a terrenos baldios.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


José do Carmo, por sua vez, sequer mencionou o nome de Barbosa ou de Fu ao comentar o assunto. Disse apenas que não falta diálogo entre Executivo e Legislativo, já "conversas frequentes" têm sido mantidas com todos os vereadores.

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba mais

Projeto que prevê incentivo à energia solar para a baixa renda é aprovado na Câmara

Imagem de destaque
Procuradoria-Geral

Ministério Público Eleitoral se manifesta ao TSE contra cassação de Moro

Imagem de destaque
Saiba mais

Na Câmara de Londrina, avançam projetos do Plano Diretor

Imagem de destaque
Regulamentação

Cármen Lúcia defende regras para plataformas e diz temer criação de 'coronelismo digital'


Sobre o mato, Carmo enfatizou que a lei é inconstitucional, mas não revelou se o município irá ou não ajuizar ação direta de inconstitucionalidade (Adin), mas procurou garantir que, mesmo sem cumprir a lei, a prefeitura pretende dar uma solução para o mato. "Se existe mato, alguém tem que roçar; a comunidade espera que o serviço seja feito", afirmou, sem dizer, no entanto, como isso será feito.

Publicidade


Barbosa disse que o município não tem condições de roçar o mato de terrenos particulares, mas o secretário José do Carmo, ignorando a declaração, garantiu que "a legislação já prevê que o município execute o serviço (de roçagem)". "Temos que fazer isso por conta própria ou contratando terceiros".


O projeto

Publicidade


O projeto vetado pelo Executivo, mas promulgado pela Câmara, também prevê que a multa para quem não limpar seu terreno subirá de R$ 0,20 para R$ 1 o metro quadrado. A prefeitura limpará a área e, posteriormente, cobrará o contribuinte. Em Ibiporã, cidade muito menor que Londrina, segundo reportagem da Rádio Brasil Sul, a multa para quem não limpar seu terreno é de R$ 1.


Matéria relacionada:

Bate-boca marca aniversário de um mês do governo Barbosa


Publicidade

Últimas notícias

Publicidade