18/02/20
32º/19ºLONDRINA
PUBLICIDADE
E apagou

Weintraub compartilha mensagem que diz que Bolsonaro traiu Moro e o povo

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, compartilhou uma mensagem nas redes sociais que diz que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) traiu o ministro Sergio Moro e o povo brasileiro – e pouco depois a apagou.

Marcelo Camargo/Agência Brasil
Marcelo Camargo/Agência Brasil


Após Bolsonaro ter sancionado o projeto anticrime, mantendo a criação da figura de um juiz de garantias, o assunto ganhou grande debate no Twitter. Moro defendia o veto desse ponto e apoiadores do governo têm criticado a decisão.

Em decorrência disso, o termo #BolsonaroTraidor se tornou o mais comentado no Twitter nesta quarta- feira (25).

Weintraub retuitou mensagem do youtuber Nando Moura, antes apoiador e hoje crítico do presidente, o que o fez virar alvo de bolsonaristas. "Bolsonaro ao sancionar a emenda do FREIXO traiu não só o ministro Sérgio Moro mas TODO o povo brasileiro. Não existe mais nenhuma justiça neste país" diz a mensagem.

O trecho da lei que cria o juiz de garantia surgiu em uma emenda do deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ). De acordo com a nova lei, o juiz de garantia instruirá o processo, mas não fará o julgamento. A ideia é evitar acusações de parcialidade.

A mensagem foi compartilhada às 17h58 desta quarta. Menos de 20 minutos depois, o retuíte de Weintraub havia sido apagado pelo ministro, que, 45 minutos depois, afirmou se tratar de um erro seu. "Dei RT sem querer", escreveu.

Pouco antes, seu irmão, Arthur Weintraub, atribuíra a gafe à inépcia do irmão na rede social, embora o ministro seja um usuário contumaz.

"Meu irmão é tiozão de internet. Ele às vezes fica folhando posts e dá like e RT [retuíte] sem querer. Eu pergunto 'vc viu q vc curtiu tal coisa?'. Ele 'eu apenas li'. Some-se a isso o fato de que ele está num navio, com internet intermitente. Meu irmão vai gravar vídeo explicando o erro", escreveu Arthur.

Retuitar um conteúdo, porém, exige mais de um clique.

Weintraub está de férias e a previsão de volta ao trabalho é no início do ano. Aliados do governo apostam em sua saída do MEC, mas Bolsonaro afirma que ele fica.

O ministro faz uso recorrente de sua conta no Twitter para fazer ataques a adversários, em especial ao PT, à esquerda e à imprensa. Quando questionado sobre o teor das mensagens, Weintraub ressalta que se trata de sua conta pessoal.
Paulo Saldaña - Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
comentários
Continue lendo
Família busca informações

Desaparecimento de adolescente em Londrina completa uma semana

Certificação para transporte

Rodovias terão estabelecimentos regulamentados para motoristas

Motociclista atirou

Morre passageiro de carro 'metralhado' na zona oeste de Londrina

Veja mais e a capa do canal