01/12/20
PUBLICIDADE
Dica de manutenção

Saiba identificar o óleo lubrificante ideal para seu carro

Pixabay
Pixabay


A troca de óleo lubrificante do veículo requer alguns cuidados que começam com a escolha do produto, respeitando as especificações e os intervalos para substituição recomendados pelas montadoras. Mas existem informações importantes que merecem a atenção do consumidor.


A Valvoline, fabricante lubrificantes, destaca dicas que ajudam a identificar as características de cada tipo de óleo. Os lubrificantes automotivos podem ser de base mineral, sintética e semissintética. Por mais que a cadeia de obtenção seja a mesma, já que todos são derivados de petróleo, a procedência é diferente. Cada um tem as suas características diferentes, bem como os seus benefícios. O importante é saber qual é o tipo adequado para o veículo, consultando o manual do fabricante.

Óleo mineral - O lubrificante mineral é obtido a partir do refino do petróleo. Embora ofereça um custo mais baixo, o mineral oferece menor tempo de uso que o sintético. Portanto, a troca deve ocorrer em intervalos mais curtos.

Óleo sintético - Também é derivado de petróleo, mas o seu processo de fabricação passa por modificações químicas que proporcionam ao produto final maior estabilidade, a tão conhecida e desejada vida útil prolongada. Assim, o sintético supera a performance de óleos minerais. É extremamente estável sob ampla faixa de temperatura de operação e garante mais estabilidade, desempenho, proteção, durabilidade e menor suscetibilidade de variações de viscosidade.

Óleo semissintético - É elaborado a partir da mistura de óleos básicos minerais e sintéticos, em proporção definida. É intermediário entre o sintético e o mineral, possui características próprias, e tem como principal vantagem a relação custo/benefício.

Outro ponto importante de destacar é que, além da função de lubrificar, o óleo tem funções igualmente significativas no motor como proteger as peças da ferrugem e corrosão, manter o motor limpo, livre de borra, sujeira e verniz, bem como deve ser um excelente "selante” da câmara de combustão e ter uma grande participação no arrefecimento do motor.

Por isso, a viscosidade é uma característica do lubrificante que precisa ser considerada como um elemento imprescindível na escolha do produto. Com o carro parado ou em funcionamento, a viscosidade não pode ter altas variações, pois, do contrário, isso trará grandes malefícios ao motor.

Além disso, é a viscosidade do produto que oferece a resistência ao escoamento, estabelecida por meio de parâmetros da Norma SAE J300, criada para destacar as especificações da viscosidade dos lubrificantes de motor.

A recomendação da Valvoline é seguir com a viscosidade recomendada pelo fabricante do veículo. Não adianta tentar resolver problemas nos motores como folgas e vazamento aumentando a viscosidade. Ao colocar uma viscosidade acima da indicação da montadora para o tipo de veículo, o sistema do motor pode ser prejudicado, pois terá mais trabalho para conseguir bombear aquele lubrificante muito viscoso.
Redação Bonde
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Atenção

Hyundai faz recall para HB20 e Creta por problema no freio

30 NOV 2020 às 11h34
Mais de 100 mil cadastros

Prazo para pagar o IPVA com créditos do Nota Paraná vai até segunda

29 NOV 2020 às 11h48
Pesquisa de preços

Região Sul tem gasolina mais barata do país, mesmo com aumento

27 NOV 2020 às 11h21
Novos prazos

Motoristas com CNH vencida em 2020 poderão renovar em 2021

26 NOV 2020 às 09h31
Situação indefinida

Consórcio do DPVAT é dissolvido e seguro pode zerar em 2021

25 NOV 2020 às 11h38
Visual conservador

Honda apresenta conceito para a 11ª geração do Civic

24 NOV 2020 às 11h39
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados