Pesquisar

Canais

Serviços

Reprodução
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Ataque de nervos

Mulheres surtadas: o que acontece com o sexo feminino?

Redação Bonde*
18 jun 2012 às 13:30
Continua depois da publicidade

A sensação de estar à beira de um ataque de nervos tem sido um desabafo comum entre mulheres e, o mais preocupante, é que muitas estão mesmo. Ponderemos que não é nada fácil somar tantas atribuições: trabalho, dinheiro, filhos, maridos ou namorados e até a falta deles...

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Não querendo generalizar, parece ser fato que nós mulheres, bem ou mal, nos preocupamos mais do que os homens. Além das questões presentes, ainda temos uma forte tendência a anteciparmos inquietações, acabando por nos envolver emocionalmente até mesmo no que nem aconteceu.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Muitas mulheres passam a apresentar também problemas graves de insônia por não conseguirem se desvencilhar dos pensamentos fixos. A falta do sono ainda complica mais o nervosismo do dia, as coisas ficam "fervendo" na cabeça feminina, hormônios a mil, produzindo grande ansiedade e desconforto. Se esse ciclo vicioso não for interrompido, será muito difícil não surtar! Muito diferente da maioria dos homens que, normalmente, consegue equilibrar mais suas preocupações e dormir serenamente, o que acaba irritando ainda mais a companheira acordada. Não é por menos que muitas mulheres têm fama de estressadas!


Ao identificar-se com esses sintomas é preciso tomar atitudes efetivas no sentido de provocar uma mudança íntima que garanta maior tranquilidade, afinal, ninguém consegue viver bem na eminência de um colapso. Um passo importante é analisar sua autoestima: você acha que merece viver assim? Qual a razão de tanto descontrole? Você não está se cobrando demais?


Analisando-se como ser humano falível e aceitando-se assim, as coisas ficam menos complicadas. A pressão diminui e o reequilíbrio se inicia. Lembre-se que você não precisa acertar sempre e que o perfeccionismo pode mascarar insegurança e medo de rejeição. Pessoas autoconfiantes não são as que não erram nunca, mas as que superam os próprios enganos. Fazer o que está ao nosso alcance, dando sempre o melhor e aceitando nossas limitações nos traz mais tranquilidade e disposição na vida. Pense nisso!

Continua depois da publicidade

*Por Suely Buriasco, mediadora de conflitos e autora do livro "Mediando Conflitos no Relacionamento a Dois".


Continue lendo