Pesquisar

Canais

Serviços

iStock
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Avanço da ômicron

Companhias já cancelaram mais de 2.000 na véspera do Natal, diz FlightAware

Folhapress
24 dez 2021 às 14:35
Continua depois da publicidade

Companhias aéreas de todo o mundo cancelaram mais de 2.000 voos até o final da manhã desta sexta-feira (24), véspera do Natal, disse o site FlightAware, numa indicação de como a pandemia de Covid-19 está afetando as viagens de fim de ano.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


O site mostrou que a partir das 10h20 (horário de Brasília), 2.028 voos ao redor do mundo haviam sido cancelados.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


O aumento rápido de infecções causado pela ômicron, tem levado passageiros e companhias aéreas a reconsiderarem viagens. Na última quinta-feira (23), a Lufthansa anunciou que vai cancelar milhares de voos devido à propagação da nova variante do coronavírus.


"Constatamos uma importante queda das reservas entre meados de janeiro e fevereiro", portanto "devemos cancelar 33 mil voos, ou seja, cerca de 10% dos voos programados para este inverno [boreal]", informou Carsten Spohr, diretor-executivo da Lufthansa em entrevista ao jornal Frankfurter Allgemeine Sonntagszeitung.


A companhia aérea alemã também anunciou que cancelaria voos intercontinentais devido ao adoecimento de muitos pilotos.

Continua depois da publicidade


"As conexões transatlânticas para a América do Norte com destino a Boston, Houston e Washington estão afetadas, principalmente de 23 a 26 de dezembro, devido ao aumento do número de doentes" entre os pilotos, disse .


No entanto, o vínculo com a variante ômicron é especulativo, já que a Lufthansa disse não está a par do tipo de doença contraída pelos pilotos.


Na última quarta-feira (22), a escandinava SAS informou que uma quantidade maior do que o normal de funcionários doentes, devido à Covid-19, e as recomendações sanitárias associadas contribuíram para a recente onda de cancelamentos de voos da companhia.


Ao observar uma desaceleração das reservas, a Ryanair -maior companhia aérea europeia em relação a número de passageiros- alertou na quarta (22) à noite que seus prejuízos anuais seriam, provavelmente, o dobro do previsto, em função da nova variante.


A ACI Europa (Associação de Aeroportos Europeus), citando dados preliminares, calculou que o tráfego de passageiros diminuiu 20% nas instalações desde de 24 de novembro, quando a OMS (Organização Mundial da Saúde) anunciou ter identificado a ômicron. Ao mesmo tempo, o índice de ocupação dos aviões caiu de 66% para 54%.

Continue lendo