14/05/21
PUBLICIDADE
Será?

Endividados podem prestar concurso público?

Reprodução/Pixabay
Reprodução/Pixabay


A estimativa de brasileiros endividados aumenta ano após ano. Em 2019, a somatória de devedores, com o Cadastro da Pessoa Física (CPF) negativo, tinha resultado de 63,2 milhões, de acordo com os dados do Serasa Experian. Em 2020, o resultado foi um pouco mais promissor: cerca de 60 milhões, segundo levantamento da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).


Uma segunda pesquisa, detalhada e produzida pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), aponta que a situação das famílias brasileiras apresentou o patamar mais elevado dos últimos dez anos, apesar da leve queda no número total de inadimplentes e endividados. De acordo com o CNC, em agosto,o percentual de famílias com dívidas cresceu para 67,5%.

O número ainda não é, de acordo com especialistas e economistas, um reflexo evidente da pandemia de coronavírus em sua totalidade. Acredita-se que os endividados em decorrência da pandemia fiquem ainda mais evidentes em 2021, sobretudo se a extensão do auxílio emergencial, promovido pelo Governo Federal, não for realizada por mais meses.

Para quem perdeu o emprego – e, por isso, teve complicações financeiras e dívidas –, ainda resta o sonho de prestar o concurso público, a fim de ter mais estabilidade e um salário maior. Mas fica a dúvida: quem está devendo ou com o CPF negativado pode prestar um concurso público?

Bom, de acordo com a Lei Federal nº 8.112, de 1990, sim. Mas esse
não é o único parâmetro utilizado para aceitar um candidato ao concurso. Em todo o caso, os requisitos básicos para prestar o exame são:

ser cidadão brasileiro;
estar em gozo dos direitos políticos;
estar em dia com as obrigações eleitorais;
estar em dia com as obrigações militares;
ter no mínimo 18 anos;
ter aptidão física e mental;
ter o nível de escolaridade exigido para o exercício da função.

Entretanto, apesar de as exigências serem essas, algumas instituições podem negar participantes negativados ou inadimplentes, sobretudo na área bancária. Neste caso, depende da regra da empresa – o Banco do Brasil, por exemplo, exige o nome limpo. Esse processo faz parte de uma investigação social, na qual algumas estatais podem conferir o processo de endividamento dos candidatos.

A investigação social é feita por meio da busca de informações do candidato que prestará o concurso público. A procura mais comum feita pelas empresas é a investigação criminal, mas há empresas que também ampliam a busca para investigações pessoais e de cunho econômico – o que pode acarretar em uma não recomendação, se for função ideológica e mandatória da empresa desejada para o cargo.
Assessoria de imprensa
PUBLICIDADE
Continue lendo
Vida parada?

Simpatias para atrair um novo amor

13 MAI 2021 às 16h57
Criptomoedas

Bitcoin despenca após Elon Musk anunciar que Tesla suspendeu compras com moeda

13 MAI 2021 às 14h55
Entenda

Bolsonaro sanciona lei que determina afastamento de grávidas do trabalho presencial

13 MAI 2021 às 09h07
Vacinação

Covid-19: ausência na segunda dose da vacina atrapalha imunização e controle da doença

12 MAI 2021 às 17h46
Análise de contaminados

Perfil genético torna pacientes mais suscetíveis a ter covid-19

12 MAI 2021 às 17h31
Equilíbrio e harmonia

Entenda a importância de dormir bem para o controle de peso e o combate a doenças

12 MAI 2021 às 17h16
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados