Pesquisar

Canais

Serviços

- Micaela Orikasa/Grupo Folha
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Fiéis recebem bençãos neste 1º de maio em Londrina com carteiras de trabalho

Micaela Orikasa - Grupo Folha
01 mai 2022 às 11:59
Continua depois da publicidade

Mesmo morando distante da paróquia São José Operário, localizada no Jardim Leonor, na zona oeste de Londrina, a doméstica Maria Cecília da Silva fez questão de acordar cedinho neste domingo (1º de maio), Dia do Trabalhador, para acompanhar a primeira celebração do dia. “Sou devota de São José desde pequena. Tenho um carinho muito especial por ele e o emprego que tenho hoje, que é muito bom para mim, foi um pedido a ele. Hoje, quis muito vir nesta igreja em agradecimento”, comentou.  

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


A primeira missa do dia foi celebrada pelo arcebispo Dom Geremias Steinmetz que, ao final, abençoou as carteiras de trabalho. “É importante que nossa fé tenha incidência na vida de cada pessoa como um todo. Na questão do trabalho, infelizmente hoje muita gente enfrenta problemas em relação ao trabalho e tem dificuldade de se empregar. Queremos colocar a fé a serviço dessas pessoas, esperando que todos possam se colocar no trabalho para viver com dignidade e poder viver na paz”, disse, minutos antes da celebração. 

Continua depois da publicidade


O advogado Vinícius Cheliga não frequenta a Paróquia São José Operário com frequência, mas se programou para estar presente na missa do Dia do Trabalhador. Com a carteira de trabalho em mãos, buscou bençãos para exercer a profissão. “É um tempo realmente de esperança, após termos passado por momentos tão difíceis na pandemia (do coronavírus). Vim pedir benção para o meu trabalho, para que os negócios cresçam e possam florescer na minha família e em novos aprendizados”, afirmou. 


O padre Dirceu Júnior dos Reis explica que “desde 1955, São José é conhecido na Igreja como Padroeiro dos Trabalhadores, o modelo de operário”. Para ele, duas realidades chamam a atenção, no que diz respeito ao trabalho. “Primeiro são as pessoas que enfrentam dificuldades profissionais e começam a adoecer. Aqui na nossa paróquia, elas encontram um consolo e uma fonte de força para continuar no trabalho, na busca de seus direitos e na consagração da vida, amenizando um pouco do desconforto, da tristeza e ganhando mais entusiasmo. A segunda realidade são os desempregados que, quanto mais próximos de São José, mais esperançosos e perseverantes se tornam para continuar na busca de trabalho, tão necessário para dignificar a própria vida e trazer o sustento dentro de suas famílias”, ressaltou.  


Continue lendo na Folha de Londrina.

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade