Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Recém transicionada

Maya Massafera enfrenta disforia de gênero e abre debate sobre saúde mental

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
23 mai 2024 às 18:12
- Reprodução/Instagram
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

Maya Massafera, apresentadora e influenciadora famosa que passou, muito recentemente, por um processo de transição de gênero, enfrentou nos últimos dias, alguns problemas com sua nova imagem. 


Em um desabafo no instagram, a influenciadora contou que sofreu com uma disforia corporal muito grande durante o Festival Anual de Cinema de Cannes, o que fez com que ela se isolasse em seu quarto de hotel por não querer ser vista.  

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade



Segundo a psicanalista Andréa Ladislau, a disforia é uma condição clínica geral com sintomas psiquiátricos que não chega a ser considerada um transtorno mental. Ela explica que é um diagnóstico muito comum, principalmente para pessoas que fazem a transição de gênero. 

Leia mais:

Imagem de destaque
Saúde mental e física

Dieta rica em gordura pode levar à ansiedade, diz estudo brasileiro

Imagem de destaque
Nova pesquisa

A cada dia, 26 meninas menores de 14 anos se tornam mães no país; 20% se declaram casadas

Imagem de destaque
5,75 milhões de contribuintes

Inicia consulta a segundo lote de restituição do Imposto de Renda 2024

Imagem de destaque
9 ministros votaram

Entenda as três teses em julgamento do STF sobre descriminalização de maconha


Assim, nesses casos, a disforia pode ser definida como o desconforto com a distorção de imagem ao longo do período de adaptação da nova condição escolhida. "É, na verdade, uma mudança repentina de sensações, causando transitoriedade do estado de ânimo, alternando as emoções e flutuando para um mal estar alicerçado por uma possível depressão e ansiedade generalizada. Ou seja, instala-se um sentimento de perda do prazer diário, associado ao descontentamento com pequenas coisas", explica. 

Publicidade


Para a psicanalista, essa mudança vai muito além do desejo aceitação. "Eles estão fixados em um realinhamento da forma como esse indivíduo se enxerga e como ele acomoda em si, a pressão pelo olhar do outro. Afinal, sabemos que esse tema ainda é carregado por tabus e desconhecimento."


No caso de Massafera, a especialista conta, a feminilização corporal e facial exigiram muitos procedientos estéticos e cirúrgicos de redesignação sexual, o que afeta não somente o corpo físico, mas também com a mente e o emocional da pessoa. 

Publicidade


Desta maneira, a mistura de sentimentos que acompanham a transição podem provocar de siquilíbrio psíquico, principalmente nos primeiros meses após a transformação. A psiquiatra aponta que os sintomas causados pela disforia de gênero incluem a melancolia, pessimismo, alteraçã de humor, choro em excesso, tristeza profunda, necessidade de isolamento, perturbação emocional, distorções alimentares, entre outros. 


Com todas essas manifestações, é importante que essa transformação, por ser muito radical, seja feita com um acompanhamento psicológico intenso, desde o primeiro momento da opção de mudança, para trabalhar a autoestima, a autocompaixão e complexos enraizados, reduzindo os impactos negativos de possíveis julgamentos e preconceitos que a pessoa possa vir a sofrer. 


"A psicoterapia vai auxiliar no processo emocional construindo pontes, conexão e vínculos fortes, rígidos e assertivos, de equilíbrio entre a nova condição de gênero sexual e o gênero de nascença", comenta.


Imagem
'Ninguém sabe dos meus exames nem da minha vida', rebate Maiara sobre críticas ao corpo
A cantora Maiara, que faz dupla com a irmã Maraísa, resolveu se pronunciar sobre os comentários negativos com relação ao seu corpo após ter perdido 30 kg em seis meses. Ela reclamou das críticas e avisou que conseguiu eliminar o excesso de peso com ajuda
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade