25/10/20
Rosh Hashaná

Pela primeira vez no Brasil, cerimônia do Ano-Novo Judaico será transmitida online

Pixabay
Pixabay


O início do ano 5781 do calendário judaico trará uma novidade. Pela primeira vez no país, cerimônias de Rosh Hashaná, o Ano-Novo judaico, que tem início na próxima sexta-feira (18), serão exibidas ao vivo pela TV e internet. A transmissão, já adotada pelo judaísmo em outros países, adapta a celebração à pandemia da Covid-19.


De acordo com Ricardo Berkinensztat, presidente executivo da Federação Israelita de São Paulo, há 60 sinagogas no estado. As que farão a transmissão são as "mais liberais". A expectativa é que mais de 25 mil pessoas acompanhem a cerimônia.

"Já estamos tendo uma boa procura pelos links, então isso talvez seja algo que veio para ficar, independente da pandemia, porque alcança também pessoas mais idosas, enfermas e que não podem se locomover", diz Berkinensztat.

Além de transmitir as celebrações pelo site cip.org.br/aovivo, a Congregação Israelita Paulista (CIP) irá difundir pela TV Aberta (canal 9 da Net e canal 8 da Vivo) as rezas de Ano-Novo e de Yom Kipur, o Dia do Perdão, que acontece dez dias depois.

A CIP já tem realizado outros serviços religiosos, inclusive a cerimônia do shabat, o dia do descanso, online. Segundo o rabino Michel Schlesinger, essas orações, que antes da pandemia tinham presença de cerca de 400 pessoas, agora alcançam 4.000.

"Aproximamo-nos da data mais importante do ano, mas ainda não existe segurança sanitária para colocar centenas de pessoas em um mesmo ambiente, por isso escolhemos celebrar da forma mais ética e judaica", afirma o rabino.

O dia do Yom Kipur traz ainda outra inovação para a comunidade em São Paulo: no Centro Cultural e Social Bnei Chalutzim, em Alphaville, a celebração acontece em um cinema drive-in. Lá, as famílias poderão acompanhar as rezas feitas por um cantor litúrgico e um coral.

Já as sinagogas ortodoxas terão cerimônias presenciais com número reduzido de pessoas, seguindo protocolos de segurança para minimizar o risco de transmissão. Segundo Berkinensztat, isso se dá porque, na interpretação desses judeus, a transmissão estaria ferindo o que determinam as escrituras sagradas.

As adaptações alcançam também o toque do shofar, instrumento feito de chifre de carneiro que faz um chamamento à reflexão durante a celebração do Ano-Novo. Neste ano, o instrumento será tocado em praças públicas para que mais pessoas possam escutar.

Na visão do rabino Michel Schlesinger, a celebração do Ano-Novo no contexto da pandemia ressalta o momento de reflexão da data.

"Estamos enfrentando um desafio gigantesco e precisamos trazer esperança e ajudar as pessoas a acreditar que o futuro pode ser bom. No ano que vem, com ou sem transmissão online, nossas sinagogas estarão abertas para que as pessoas possam celebrar e se abraçar."
Mariana Freire - Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Live do Gedal

Astrofísico desvenda mistérios da estrela Eta Carinae, gigante cósmico

24 OUT 2020 às 11h45
Conheça Mark Bryan!

Homem faz sucesso nas redes sociais por usar saia e salto

24 OUT 2020 às 08h00
Renda extra

Jovens e adultos investem em bordado durante a quarentena

23 OUT 2020 às 18h00
Saiba mais

Brasil já registra cerca de 127 mil uniões civis homoafetivas

23 OUT 2020 às 10h43
Folha Entrevista

Economista Marcos Rambalducci mostra prioridades para Londrina

22 OUT 2020 às 09h27
Assista o Gente!

Especialista Cláudio Romagnoli fala como ter um sorriso perfeito e saudável

22 OUT 2020 às 09h20
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados