Pesquisar

Canais

Serviços

Pexels
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Dia Internacional das Pessoas com Deficiência

Um em cada cinco paranaenses convivem com algum tipo de deficiência

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
03 dez 2021 às 09:00
Continua depois da publicidade

Um levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revela que 17,3 milhões de pessoas no país tem algum tipo de deficiência. Quase metade dessa parcela (49,4%) é de idosos. No Paraná, uma em cada cinco pessoas apresenta algum tipo de deficiência. Segundo informações do IBGE, 2,2 milhões de paranaenses possuem algum tipo de deficiência, isso representa 21,4% da população do estado.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Para evidenciar os direitos desta população a ONU (Organização das Nações Unidas), instituiu no ano de 1992 a data de 3 de dezembro como “Dia Internacional das Pessoas com Deficiência”.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


Essa população vive superando obstáculos e um deles é na educação. Dados do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), apontam que apenas 0,56% do total de alunos matriculados em cursos de graduação superior são portadores de deficiência. 


Um desses casos de superação é da aluna de biomedicina da Unopar, Gabriela Versiane Barduco, de 35 anos que é deficiente auditiva. Sonia Barduco, mãe da aluna conta que o problema de sua filha surgiu após ela ter sido contaminada durante a gestação com a rubéola. Na década de 1980 o Brasil enfrentou um surto da doença e ela acabou se infectando. 


“Durante a gestação realizei diversos exames que não constatavam nenhum problema, porém aos dois anos levamos ela ao médico e foi constatado que ela tinha perda severa da audição de um lado e severa de outro. A partir do resultado nós a levamos para a escola do Rotary em Ibiporã onde ela estudou por 12 anos e aprendeu na classe especial a fazer a leitura labial. Após esse período ela começou a frequentar o Iles (Instituto Londrinense de Educação de Surdos) onde aprendeu a Língua Brasileira de Sinais”, conta a mãe.

Continua depois da publicidade


Gabriela é mãe da pequena Raphaella de 8 anos. Sônia conta que hoje a filha ensina a neta a se comunicar por libras. A filha e a mãe têm uma conexão superespecial como mostra o vídeo de comemoração do “Dia das Mães”.


Para as suas aulas na Unopar, Gabriela conta com o suporte de uma intérprete que traduz para a Língua Brasileira de Sinais o conteúdo explicado pelo professor em sala de aula. 


“A Gabriela é muito ágil e dedicada na faculdade, seu sonho é concluir a graduação e seguir carreira na área estética que ela sempre gostou muito”, finaliza.

Continue lendo