Pesquisar

Canais

Serviços

- Divulgação

O futuro do Bitcoin no Brasil

CV Bonde
24 set 2021 às 09:39
Recentemente, o Bitcoin passou por uma desvalorização preocupante. Ainda assim, especialistas e comportamentos de mercado mostram que as moedas digitais vieram para completar o boom tecnológico e a ascensão da internet no globo todo.


Mas será que o criptoativo tem futuro no Brasil? Qual é o panorama a longo prazo? Acompanhe desde os conceitos básicos até a possibilidade de se tornar a moeda do futuro logo a seguir.


Entendendo o que é o Bitcoin
Em poucas palavras, o Bitcoin é uma moeda digital que foi criada de maneira descentralizada. Isso quer dizer que não existe nenhum órgão responsável por emissões ou pelo controle das operações.


Assim como outros criptoativos, como Litecoin ou Ethereum, o Bitcoin é trabalhado a partir de uma rede segura e altamente avançada de criptografia – chamada de blockchain. Pela aplicação de sistemas avançados, tais métodos são extremamente seguros – o que faz que sejam cada vez mais procurados.


O medo da desvalorização recente
No ano de 2021, o Bitcoin sofreu uma desvalorização alta (de mais de 30%) – o que deixou muitos investidores repletos de sentimento de apreensão. Tal queda foi resultante de diversos fatores, incluindo o posicionamento de Elon Musk sobre o impacto ambiental do Bitcoin e restrições da mineração em territórios da China.


Porém, mesmo com o cenário pessimista, a tendência é que o mercado volte a se estabilizar a médio e longo prazo. O que faz com que o Bitcoin tenha uma perspectiva de alta para cenários futuros.


Podemos chegar a essa conclusão não só por opiniões de especialistas, como também por indicativos de que a moeda consegue seguir firme mesmo com restrições. Sem contar que está cada vez mais ampla no mercado global – até entre o público brasileiro.


Um exemplo do potencial está no fato de que o primeiro EFT de criptoativos chegou ao Brasil no início de 2021. Então, sem dúvidas, a exploração de oportunidades dentro desse mercado está só começando a nível nacional.


Atualmente, onde as criptomoedas são utilizadas?
Assim como qualquer outra moeda, o Bitcoin e outros criptoativos podem ser utilizados no mundo todo. Basicamente, basta que o estabelecimento que você deseje pagar o aceite.


Portanto, as criptomoedas podem ser utilizadas para realizar compras online, pagar contas ou depositar fundos em um casino – tudo de forma rápida e conveniente.

As criptomoedas servem como método de pagamento em casas de apostas futebol e cassinos online.


Com exceção das casas de apostas e cassinos online, ainda não existem muitos estabelecimentos no Brasil que aceitem tais moedas. No entanto, a tendência é que esse número cresça cada vez mais no mercado brasileiro. Inclusive, muitas empresas inovadoras já o integram dentre as formas de pagamento para transações convencionais.


As vantagens superam as desvantagens?
Além do próprio impacto ambiental, que obteve foco recente na mídia, o Bitcoin possui outras desvantagens. Um dos principais problemas está no uso indevido dos ativos.


Isso porque o anonimato, a descentralização e a criptografia de alto nível atraem pessoas más intencionadas para a rede. Sobretudo para a realização de atividades ilegais, esquemas ou lavagem de dinheiro.


Por si só, isso já é capaz de deixar muitos possíveis investidores “com o pé atrás”. No entanto, quando bem aplicado, o Bitcoin e outros criptoativos podem ter benefícios que superam as suas desvantagens.


Operar com criptomoedas pode oferecer um alto nível de segurança para as transações financeiras e comerciais. Afinal de contas: todo o processamento envolve criptografia em um sistema tecnológico de última geração. O que acaba evitando, por exemplo, qualquer tipo de fraude ou roubo. Sem contar a segurança dos dados do próprio indivíduo, cuja identidade permanece protegida.


Outro benefício do Bitcoin está no fato do seu sistema ser descentralizado e alternativo – sem ser regulado por entidades de governos ou instituições bancárias. A ausência de intermediários para pagamentos não se trata apenas de anonimato, mas também impacta na redução de tarifas.


Para transações internacionais, por exemplo, pode ser mais vantajoso pagar com Bitcoins do que por cartões de crédito ou transferências bancárias. Afinal, não será preciso envolver instituições intermediárias, tornando os custos muito mais baixos. Em conjunto, a rapidez das transações é inquestionável!


Uma interessante reserva de valor
Ao que tudo indica, sobretudo por opiniões de especialistas, o futuro do Bitcoin está muito mais relacionado com uma reserva de valor. Por isso, não pode ser visto tal qual um investimento. Ele funcionaria de forma muito similar a uma reserva de moeda (como dólar, por exemplo). Então, seria capaz de manter o poder de compra mesmo em períodos conturbados.


A tendência é que toda a desvalorização e perdas se equilibrem e que a moeda não passe por tantas instabilidades. Assim, a longo prazo, se tornando uma interessante reserva de valor.


Será o Bitcoin a moeda do futuro no Brasil e no mundo?
Principalmente pela alta volatilidade, o Bitcoin ainda é um ativo que não é comum para a maioria dos investidores. Mas com a expansão das transações online e da internet, especialistas acreditam que a utilização de criptomoedas só cresça.


Embora não seja páreo ao número de transações que uma moeda tradicional, as moedas digitais tendem a conquistar as operações do comércio eletrônico. Assim, revolucionando as transações mundiais e locais. É por isso que, mesmo no Brasil, há quem acredite que o Bitcoin possa ganhar o posto de “moeda do futuro”.

Continue lendo