Pesquisar

Canais

Serviços

Colégio Maxi - unidade Avenida Duque de Caxias - Divulgação

O LUGAR DE ONDE APRENDO: o espaço como terceiro educador

Por Alessandra Aranda Nicolau, Coordenadora Pedagógica da Educação Infantil do Colégio Maxi Pedagoga, Mestre em Educação Especialista em Gestão Educacional e Psicopedagogia
26 set 2021 às 00:00

As inúmeras vivências que experimentamos ao longo da nossa história e as memórias que construímos por meio das experiências com cheiros, cores, formas, sons, pelas sensações e percepções com tudo o que nos cerca, são marcas que perpetuam e transcendem o tempo e o espaço. Quando me pego pensando na minha meninice, a minha memória me leva a revisitar o espaço no qual vivi minha infância no final da década de 1970.


Maxi Júnior - Divulgação
Maxi Júnior - Sala de artes - Divulgação


São inúmeras lembranças das invenções e brincadeiras em caixas de papelão ou caixotes de feira que se transformavam em carrinhos a nos transportar de um lado para o outro; a goiabeira no fundo do quintal que, de repente virava o trapézio de um grande espetáculo de circo que, cada um com sua habilidade ou ousadia, realizava acrobacias aéreas enquanto a plateia vibrava com cada manobra efetuada; e os shows de talentos e dublagens que organizávamos..., as brincadeiras de casinha; sem contar os milhares de desenhos que produzíamos e realizávamos as exposições e as coleções, ahhh... as coleções, eram sementes extraídas da natureza, pedras de diferentes cores e formatos, papel de carta, figurinhas e tantas outras coleções que eram um verdadeiro tesouro guardado a sete chaves.  


Colégio Maxi - unidade Avenida Duque de Caxias - praça - Divulgação
Colégio Maxi - unidade Avenida Duque de Caxias - Espaço Movimento - Divulgação


Ao revisitar todas essas memórias, tenho plena convicção de que a criança, mesmo com sua pouca idade, é um sujeito único, curioso, observador, competente, produtor de cultura e capaz de construir conhecimentos. Em outras palavras, já possui atitude, sabe do que gosta e tem sua leitura de mundo em constante formação. Agora, convido você, caro leitor, a imaginar comigo que, se espontaneamente essa criança é capaz de ser e agir assim, o que dizer, então, se todas essas possibilidades de vivência e desenvolvimento estiverem atreladas a uma proposta pedagógica que contempla toda essa perspectiva? 


Maxi Júnior - Ludoteca - Divulgação
Colégio Maxi - unidade Avenida Duque de Caxias - Innovation lab - Divulgação


O papel do professor e do aluno no Colégio Maxi você já conhece: nossa proposta para a Educação Infantil coloca o espaço de vivências como o terceiro educador desse processo. O espaço escolar transcende os recursos físicos, pois trata-se de um lugar com vida, ambientes pensados e estruturados para oportunizar as relações entre a criança, o adulto e o espaço. Os espaços de aprendizagem são tão importantes quanto as relações humanas que são construídas e exploradas neste ambiente.  


Maxi Júnior - Sala de música - Divulgação


A expertise e a intencionalidade pedagógica dos espaços da Educação Infantil atrelam-se aos direitos de aprendizagem e desenvolvimento através do conviver, brincar, participar, explorar, expressar-se e conhecer-se, construindo conhecimentos por meio dos campos de experiências apresentados na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). A BNCC tem uma proposta curricular pautada em vivências e experiências baseadas na valorização das interações e das brincadeiras, respeitando a cultura da infância como caminho para a garantia dos direitos das crianças à aprendizagem e ao desenvolvimento. É esse espaço de vivências e aprendizagens que o Colégio Maxi acredita ser o melhor lugar do mundo para as nossas crianças. Venha compor esse espaço com a gente!!!!!  


Colégio Maxi - unidade Avenida Duque de Caxias - Sala Google 1 - Divulgação
Maxi Júnior - Maxi International learning - Divulgação

BRASIL, Ministério da Educação (MEC/SEED). Base Nacional Comum Curricular. Versão Final. Brasília, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf Acesso em: 15 set. 2021.


Continue lendo