03/03/21
Discriminação no trabalho

Transexual obrigada a usar banheiro masculino será indenizada

A Primeira Turma do Tribunal Regional do Trabalho do Paraná condenou a Kraft Foods do Brasil a indenizar em R$ 5 mil por danos morais uma trabalhadora que, embora nascida com características masculinas e possuir nome de batismo masculino, se autoidentificava como sendo do gênero feminino. A condenação foi motivada pelo fato de a empresa determinar, após algum tempo, que ela usasse o vestiário dos homens.

A ajudante geral foi contratada por tempo determinado em 2011 e, na época, requereu junto à empresa o uso do vestiário feminino, o que a princípio lhe foi deferido. Em sua defesa, a empresa alegou que a posterior determinação para que a trabalhadora usasse o banheiro masculino foi em virtude de "reclamações das empregadas femininas", já que ela teria aparência física de homem.


De acordo com o desembargador Edmilson Antonio de Lima, a conduta de empresa foi discriminatória, ofendendo o que dispõe o inciso IV do artigo 3º da Constituição da República. "A autora se vê como mulher e assim espera ser tratada pela sociedade. As travestis, transexuais, ou seja, as transgênero de modo geral devem ser encaradas como mulheres na utilização do banheiro e em qualquer ocasião de suas vidas sociais, em respeito ao princípio da dignidade humana, sem nenhuma discriminação", sustentou.

Edmilson Antonio de Lima destacou ainda que ficou demonstrado no processo que as instalações da empresa contam com banheiros e chuveiros privativos, não havendo a necessidade de as empregadas despirem-se totalmente na frente das outras. Assim, em sua visão: "A situação de a autora ser vista de lingerie perante os empregados do sexo masculino me parece mais desconfortante do que as empregadas do sexo feminino serem vistas de lingerie pela parte autora, que também se vê como mulher". Com este entendimento, a Primeira Turma decidiu reverter a decisão de origem, deferindo à trabalhadora a indenização por danos morais.

O direito de o transexual ser tratado socialmente de forma condizente com sua identidade sexual é tema com repercussão geral reconhecida pelo Supremo Tribunal Federal (STF). A matéria é tratada no Recurso Extraordinário (RE) 845779, de relatoria do ministro Luís Roberto Barroso, no qual se discute indenização por danos morais exigida por um transexual que teria sido constrangido por funcionário de um de shopping center em Florianópolis (SC) ao tentar utilizar banheiro feminino. A manifestação do ministro Luís Roberto Barroso no sentido de reconhecer repercussão geral da matéria foi seguida, por maioria, em deliberação no Plenário Virtual da Corte.

Da decisão cabe recurso.

(com informações do Tribunal Regional do Trabalho)
Redação Bonde
Continue lendo
Bebidas

Bacardi compra Patrón Tequila por US$ 5 bilhões

23 JAN 2018 às 11h28
Lançamento na segunda-feira

Multinacional confirma unidade em Londrina

13 JAN 2018 às 15h39
Variações

Preço da gasolina diminui e do diesel sobe hoje nas refinarias

03 JAN 2018 às 08h55
Nas vésperas no Natal

Bom movimento nos shoppings; chuva atrapalha vendas no Centro

5
23 DEZ 2017 às 13h28
Novidade

Entram em vigor novas regras para divulgação de preços no e-commerce

23 DEZ 2017 às 13h11
Edições especiais da Nintendo

Videogames portáteis atraem gamers de todas as idades neste Natal

21 DEZ 2017 às 13h11
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados