Pesquisar

Canais

Serviços

- Reprodução/Pixabay
Confira os temas que estudam!

Estudantes de Física da UEL conquistam bolsas em instituições reconhecidas internacionalmente

Redação Bonde com Agência UEL
04 ago 2021 às 17:58
Continua depois da publicidade

Dois estudantes do Programa de Pós-graduação em Física da UEL (Universidade Estadual de Londrina) vão continuar suas pesquisas em instituições de renome internacional. Um deles é Guilherme Delfino Silva, que defendeu sua dissertação de Mestrado em fevereiro de 2021, e no próximo dia 22 embarca para os Estados Unidos, para fazer o Doutorado na Universidade de Boston.

Continua depois da publicidade

Guilherme é graduado em Física pela UEL. Ingressou na Licenciatura mas fez também o Bacharelado, quando conheceu o professor Pedro Gomes, seu orientador no Mestrado. O estudante pesquisa Física da Matéria Condensada, campo que estuda as propriedades físicas da matéria, seus elementos constituintes (átomos, elétrons) e interações entre si. É o maior campo da Física contemporânea.

Continua depois da publicidade


Em seu estudo, intitulado "Teorias efetivas para líquidos de spin e fractons”, o pesquisador foca justamente nas propriedades e nas interações de partículas de determinados materiais, do ponto de vista microscópico, que descrevem maior ou menor resistência e mobilidade. Tais estudos possuem aplicação na computação quântica, pois podem indicar materiais para, por exemplo, melhor guardar informações. A computação quântica se baseia na Física Quântica (de partículas) e é considerada um avanço na teoria computacional, capaz de resolver problemas e desafios da sociedade em várias áreas, como agricultura, energia, meio ambiente e ciência dos materiais.


Em Boston, Guilherme dará prosseguimento à sua pesquisa. A universidade norte-americana está nos planos do estudante desde que entrou no Mestrado, em razão das dificuldades de pesquisa no Brasil e dos cortes orçamentários. Lá, além das atividades habituais de pesquisador como bolsista, atuará também como "teaching assistant”, ou seja, professor assistente, ministrando aulas. Seu orientador será o professor Claudio Chamon, brasileiro que atua na Universidade de Boston.

Continua depois da publicidade


Pós-Doutorado - Weslei Bernardino Fontana também é formado em Física pela UEL, tornou-se Mestre em fevereiro de 2018 e no mês seguinte já era doutorando no Programa. Entre novembro de 2019 e dezembro de 2020, esteve na Universidade de Boston num Doutorado-Sanduíche e deve defender sua tese até o final de 2021, porque já conseguiu uma bolsa de Pós-Doutorado no Instituto Internacional de Física de Natal (RN), onde deverá ficar por dois anos, podendo estender o prazo por mais dois.


Em sua pesquisa de Doutorado, Weslei também foca em teorias efetivas que possam construir um modelo descritivo para as fases topológicas da matéria, ou seja, estados que só podem ser entendidos do ponto de vista quântico. No Pós-Doutorado, o pesquisador deve ampliar seu estudo porque, dadas as próprias características deste campo da Física, deve promover uma interface com outros pesquisadores, por exemplo, que estudam teorias gravitacionais e teoria das cordas (modelo para explicar forças fundamentais da Natureza).


Ainda esta semana, Weslei já começa os primeiros contatos com o grupo de pesquisa em Natal. Após a defesa, muda-se para a capital potiguar. Segundo ele, o instituto recebe muitos pesquisadores, de vários países, e está na frente em diversos campos de pesquisa. Os contatos internacionais são importantes para o pesquisador, que já apresentou seus estudos em um evento da Universidade de Harvard (maio de 2021) e outro (em julho) do Imperial College London. Também já submeteu dois artigos para publicação na Universidade de Boston, dos quais um já foi publicado, e que representam a base da tese. Ele também publicou um artigo, em 2021, numa revista da Universidade de Cornell (Nova York).

Estímulo à pesquisa - Para o professor Pedro Gomes (Departamento de Física/CCE - Centro de Ciências Exatas), orientador dos dois estudantes, não só é muito gratificante ter alunos da UEL se destacando nacional e internacionalmente, quanto é importante que tais conquistas estimulem outros alunos e se dedicarem à pesquisa, sobretudo neste campo, e levando em conta as condições para a pesquisa no Brasil, com cada vez mais cortes. O professor explica que o Grupo de Física Teórica da UEL é um dos mais fortes do país, pelo qual já passaram muitos estudantes talentosos. Atualmente, o grupo conta com três docentes pesquisadores e cerca de 15 estudantes de graduação e pós-graduação, e já conseguiu publicar em várias das mais importantes revistas da área no mundo.


Continue lendo