19/06/21
PUBLICIDADE
Ferramenta utiliza radiação

Pesquisadores criam robô para desinfetar ambientes eliminando o Coronavírus

Reprodução/Pixabay
Reprodução/Pixabay


Uma pesquisa desenvolvida por docentes das instituições federais de ensino produziu uma tecnologia capaz de desinfetar ambientes e eliminar micro-organismos, a exemplo do novo Coronavírus. O projeto desenvolveu o robô Aurora, uma ferramenta inteligente que realiza a gravação do trajeto que será desinfetado, com a utilização de radiação, e já está sendo testado, em caráter experimental, no Hospital das Clínicas da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco). O robô utiliza inteligência artificial para locomoção e otimização da radiação, deixando os ambientes livres de contaminação.

A iniciativa reúne pesquisadores de 3 instituições públicas: o IFPE (Instituto Federal de Pernambuco), Campus Recife; a UFPE; e o CRCN-NE (Centro Regional de Ciências Nucleares do Nordeste). O funcionamento do robô Aurora é realizado por intermédio de um operador que utiliza uma IHM (Interface Homem Máquina) para definir o caminho a ser percorrido pelo robô durante a desinfecção. Ao finalizar esse procedimento, o trajeto fica gravado na memória do robô para que o operador possa se retirar do ambiente e dar início ao processo de varredura.

A ideia surgiu no início da pandemia e se apresenta como uma eficiente solução tecnológica de combate ao Coronavírus. Segundo o pesquisador e professor do IFPE, Frederico Duarte, o projeto se une a vários outros desenvolvidos pelas instituições públicas de ensino no Brasil para o combate à Covid-19. "Esperamos que seja usado para diminuir o risco de contaminação das pessoas por outros agentes patológicos, como fungos e bactérias, principalmente em ambientes hospitalares”, ressaltou o professor.

O equipamento possui segurança para os usuários, uma vez que seu funcionamento é realizado sem a presença das pessoas no ambiente. O pesquisador responsável pelo projeto ainda explica que a UVC (radiação ultravioleta na banda C) pode ser prejudicial às pessoas e, por isso, o robô foi programado para agir de forma autônoma. "A radiação atua danificando o material genético de organismos vivos, como bactérias e fungos, ou vírus”, analisou Frederico.

A versão atual do robô é a 2.0 e já foram construídas 10 unidades. A tecnologia poderá ser utilizada em ambientes como hospitais e instituições de ensino, além de muitos outros que tenham circulação de pessoas e que necessitem de desinfecção periódica.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
PUBLICIDADE
Continue lendo
Saiba Mais!

Entenda as diferenças entre privatização, concessão e PPP

19 JUN 2021 às 10h00
Qualificação online

Curso gratuito e aberto ao público capacita para atendimento a animais alvo de desastres naturais

18 JUN 2021 às 17h33
Evento online e gratuito!

Pesquisadores do Paraná organizam Jornada sobre Reforma Agrária

18 JUN 2021 às 17h18
Saiba como participar!

UEL abre inscrições para III Módulo do Curso de Formação de Treinadores

18 JUN 2021 às 16h52
Não esqueça!

Terminam nesta sexta-feira (18) as inscrições do Encceja 2020 para privados de liberdade

18 JUN 2021 às 15h40
Entenda

Perfil de membros de 'tribunal ideológico' do Enem preocupa funcionários do MEC

18 JUN 2021 às 15h28
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados