08/03/21
PUBLICIDADE
Carta ao MEC

Servidores do Inep exigem suspensão do calendário do Enem

Servidores do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais), órgão responsável pela realização do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), se juntaram a outras entidades e pedem a suspensão do calendário da prova deste ano por causa da pandemia do coronavírus.

Marcello Casal Jr/Agência Brasil
Marcello Casal Jr/Agência <a href='/tags/brasil/' rel='noreferrer' target='_blank'>Brasil</a>


Na contramão da maioria dos países, o governo Jair Bolsonaro insiste em manter as datas do Enem mesmo com o número crescente de casos de contágio e o fechamento de escolas em todo o país. Entidades estudantis entraram na segunda-feira (11) com um mandado de segurança para o adiamento do exame.

"A sociedade brasileira, ora apresentada pelas entidades abaixo-assinadas, exige que o MEC suspenda o calendário previsto para o Enem e aguarde o desenrolar dos acontecimentos em torno das modificações impostas pela pandemia, quanto o retorno às atividades presenciais para redefinir sua realização", diz a carta, que também é endereçada ao Ministério Público Federal e ao Congresso Nacional.

Eles destacam ainda que o CNE (Conselho Nacional de Educação) já recomendou explicitamente ao ministério e ao Inep que acompanhem a reorganização dos calendários dos sistemas de ensino antes de estabelecer o cronograma de avaliações de grande escala, como o Enem. "Dada a incerteza do momento, o mais indicado seria que tais exames não sejam aplicados em 2020", diz a carta.

O documento ressalta ainda que a manutenção do Enem envolve o risco de agravamento das desigualdades educacionais. Todas as redes estaduais de ensino, que concentram 87,5% dos alunos de ensino médio do país, interromperam as aulas. Estudantes mais pobres enfrentam maior dificuldade para estudar de forma remota e terão menores chances no exame. "A realização de atividades escolares através de meios virtuais negligencia o fato de que grande parte dos jovens brasileiros não dispõe desta possibilidade e das condições necessárias para acesso e aprendizagem dos conteúdos exigidos nas avaliações definidoras para o prosseguimento dos estudos em nível superior", destaca.

O Enem é a principal porta de entrada para o ensino superior no país. A aplicação da prova em papel está prevista para os dias 1º e 8 de novembro, e as provas digitais, para 22 e 29 de novembro.As inscrições foram abertas nesta segunda-feira e vão até 22 de maio.

"A realização dos exames nas datas previstas, antes da pandemia, impedirá que milhares de jovens tenham a possibilidade de seguir seu caminho para o ensino superior se considerarmos a vulnerabilidade das redes e precariedade de condições de trabalho de professores", conclui a carta.

Além dos servidores do Inep, assinam a carta entidades que representam universidades federais, estaduais e particulares, movimentos estudantis, associação de professores e organizações da sociedade civil.
Isabela Palhares/Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Confira!

Professores de escolas privadas aprovam greve em SP

08 MAR 2021 às 17h55
Saiba Mais!

Paraná integra rede nacional de pesquisa genômica para Covid

08 MAR 2021 às 16h58
Confira!

Itamaraty marca concurso para diplomata em meio a pior momento da pandemia no Brasil

08 MAR 2021 às 16h25
Diplomas Médicos

Inep publica resultado das análises de recursos do Revalida

08 MAR 2021 às 16h10
Inscrições abertas!

Países Baixos oferecem mais de 60 bolsas de estudo para brasileiros

08 MAR 2021 às 14h58
Não esqueça!

Selecionados no Prouni devem comprovar documentação até dia 12

08 MAR 2021 às 14h30
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados