Pesquisar

Canais

Serviços

Reprodução/Facebook
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Passa bem

Caetano Veloso revela infecção por Covid e ataca governo Bolsonaro

Folhapress
27 dez 2021 às 10:33
Continua depois da publicidade

Caetano Veloso informou em seu perfil no Instagram que recebeu o diagnóstico positivo para Covid-19. Sua mulher, Paula Lavigne, também contraiu o vírus. Ambos passam bem.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


O músico informou que vinha sendo testado diariamente para se apresentar em programas televisivos e que, há cinco dias, ele e Lavigne receberam o diagnóstico positivo para a doença.

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade


"Estamos bem e atribuímos isso ao fato de estarmos vacinados", escreveu. "O importante é que quem pode deve fazer o teste. E sobretudo que todos se vacinem com as três doses."


Na publicação, o músico pediu cuidado aos seguidores e fez um alerta de que a pandemia ainda está em curso. Ele ainda criticou a maneira como o governo Bolsonaro está lidando com a vacinação de crianças. "Que o Estado brasileiro se livre desse desgoverno", afirmou.


Bolsonaro fez coro a seu ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e disse, na semana anterior, que "não está havendo morte de criança" para que crianças sejam vacinadas.

Continua depois da publicidade


A afirmação foi feita após o ministério da Saúde ter recebido uma recomendação favorável da Anvisa para aplicação da vacina da Pfizer em crianças entre 5 e 11 anos, faixa etária que registrou 301 mortes até o início de dezembro, de acordo com o Sistema de Vigilância Epidemiológica da Gripe.


Veloso participou do Roda Viva, da TV Cultura, na segunda-feira, há seis dias. O programa, no entanto, já estava gravado.


Aos jornalistas que participaram do programa, Caetano afirmou que seu "coração está com Ciro e Lula". Em outubro, à reportagem, ele já havia indicado sua intenção de voto.


"Lula é uma figura na história do Brasil que não consigo não admirar e não sentir afeto", disse. "Não Vou Deixar", uma das principais faixas de "Meu Coco", alveja os retrocessos de Jair Bolsonaro. "A gente está passando por um período difícil, que nega muito tudo o que pode ser bonito numa canção ou na vida."


Continue lendo