Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Neurocirurgião explica

Saiba o que é hematoma subdural, que atingiu Tony Ramos

Victória Cócolo - Folhapress
17 mai 2024 às 19:46
- Divulgação/TV Globo
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O ator Tony Ramos, 75, passou por uma cirurgia na região da cabeça depois do diagnóstico de hematoma subdural, nesta quinta-feira (16). Segundo o boletim médico mais recente divulgado pelo Hospital Samaritano, onde está internado no Rio de Janeiro (RJ), o artista está lúcido e seu estado de saúde é estável.


Um acúmulo de sangue que acontece entre o cérebro e o crânio é a maneira como a ciência define o problema. Segundo Guilherme Ribas, neurocirurgião do Hospital Israelita Albert Einstein, existem dois tipos de hematoma subdural: agudo e crônico. O primeiro é o tipo mais comum e costuma ocorrer imediatamente após um acidente, enquanto o crônico afeta mais pessoas idosas e, no geral, tem gravidade menor.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


"O hematoma subdural agudo habitualmente é consequência imediata de traumatismos cranioencefálicos graves, como acidentes de carro e quedas de grandes alturas. O quadro crônico também pode ser provocado por traumas leves, daqueles que às vezes não são nem percebidos, e podem se manifestar até quatro semanas depois. Este ocorre principalmente em pessoas idosas e que tomam medicação anticoagulante", explica.

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba mais

Marrone, da dupla com Bruno, passa por cirurgia de urgência em Goiânia

Imagem de destaque
Segue internada

Mamma Bruschetta tem alta da UTI após problemas respiratórios e cardíacos

Imagem de destaque
Veja vídeo

Gordon Ramsay sofre grave acidente de bicicleta e mostra hematoma: 'Tenho sorte de estar aqui'

Imagem de destaque
Luto

Morre Hiram Kasten, comediante e ator de 'Seinfeld' e 'Segura a Onda'


Segundo o neurocirurgião, pessoas mais velhas estão mais suscetíveis ao hematoma subdural crônico porque tendem a ter certo grau de atrofia cerebral, o que facilita o sangramento de veias que passam pelo cérebro. Os pequenos traumas podem culminar em acúmulo de sangue, que se desenvolve lentamente em um coágulo.

Publicidade


Os sintomas do hematoma subdural crônico podem ser sutis, manifestando-se como uma sensação de desequilíbrio, oscilação de humor, dor de cabeça e déficit motor. Se tratado a tempo, o quadro pode ser revertido.


Os sinais de casos agudos, devido às circunstâncias, costumam ser mais intensos, como inconsciência, paralisia de um lado do corpo e outros problemas neurológicos.

Publicidade


Em caso de suspeita de hematoma subdural, é necessário buscar ajuda médica. O diagnóstico é realizado por exames de neuroimagem, como tomografia e ressonância magnética de crânio.


Em relação aos tratamentos disponíveis, Guilherme Ribas explica que o hematoma subdural agudo sempre implica em cirurgia, uma vez que é necessário realizar a drenagem dos coágulos formados na região do cérebro. "No caso do subdural crônico, o sangue acaba se misturando com o líquor e esse hematoma, depois de semanas, costuma estar liquefeito, então um pequeno orifício para retirá-lo é suficiente", diz.


Existe alternativa ao método cirúrgico, como a embolização da cápsula do subdural crônico, que funciona por meio de injeções, mas o tratamento é relativamente novo e traz resultados diferentes em cada paciente.


Imagem
Tony Ramos tem significativa melhora e está lúcido, diz boletim médico
Tony Ramos está estável após realizar uma cirurgia na cabeça para a drenagem de um sangramento intracraniano, na quinta-feira (16).
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade