Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Michael, Elvis, Elis e mais

Procurado até por Madonna, artista brasileiro mostra progressão de famosos com inteligência artificial

Bruno Souza - Estagiário*
14 jul 2023 às 15:14
- Hidreley Diao
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

O artista brasileiro Hidreley Diaoreconhecido internacionalmente como um dos pioneiros no tratamento de imagens com IA (Inteligência Artificial), faz sucesso na internet com as suas montagens que mostram como personalidades históricas estariam atualmente caso estivessem vivas. Entre os maiores sucessos, estão as representações de Michael Jackson (1958-2009), Elvis Presley (1935-1977) e a princesa Diana (1961-1997). A fama de Diao é tão expressiva que ele já foi procurado até pela rainha do pop Madonna. 


"Eu fui procurado, no ano passado [2022], para fazer um retrato da mãe dela atualizado. A Madonna perdeu a mãe com apenas cinco anos de idade. Então, me enviou uma imagem dela, em preto e branco, ainda moça. Fiz o trabalho, só que foi tudo por meio de assessoria. Mas fiz o contato inicial com ela pelo Instagram. Foi incrível, porque eu sempre gostei da Madonna e ter esse reconhecimento por uma diva do pop, um ícone da música, é surreal", diz.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


A cantora não foi a única grande estrela a procurar Diao. "Recentemente, o Eric Clapton [guitarrista britânico] me procurou para fazer a progressão do seu filho, que morreu com cinco anos", revela. Confira abaixo as progressões de Princesa Diana, Elvis Presley, Michael Jackson, Renato Russo, Vera Verão e Elis Regina.

Leia mais:

Imagem de destaque
Trend do momento

'Calma, calabreso', meme que causou treta no BBB 24, vira fantasia no Carnaval de rua

Imagem de destaque
Eita!

Conversa de WhatsApp com funcionários da Jovem Pan vaza no ar e surpreende espectadores

Imagem de destaque
Criminalidade

Brasileiros criam e exportam vírus que desvia transferências em mais de 60 bancos

Imagem de destaque
Mais fake news

Publicações em redes sociais indicam ivermectina contra dengue; não há eficácia comprovada

Brincando de editar

Publicidade


Hidreley conta que sempre gostou de "brincar" com a edição de fotos. Por volta de 2013, ele já participava de concursos nos Estados Unidos.


"Era por puro hobby. Eles mandavam, diariamente, imagens para brincar. Não tinha dinheiro envolvido, era só por posições em pódios. E eu me apaixonei pela arte digital. Participei por uns quatro anos", afirma.

Publicidade


Algumas revistas internacionais e nacionais especializadas em tecnologia o citam como o pioneiro na manipulação de imagens. Os trabalhos como os de Hidreley Diao passaram a surgir somente em 2022. "Desde o começo do ano passado, não se conhecia o uso da inteligência artificial com a arte. Existia inteligência artificial em muitas outras áreas, mas na arte não", pondera o artista.


Todo esse reconhecimento só foi possível por meio de uma técnica inédita formulada pelo brasileiro, unindo aplicativos já existentes, mas até então desconectados. O "método Hidreley Diao" é explicado a seguir.

Publicidade


'Método Hidreley Diao'


Como já explicado acima, o que torna a arte de Diao única e tão verossímil é o seu método de trabalho. Mas o artista também conta que, além da inteligência artificial, o seu dom pré-técnologia é o "tempero" que deixa todos os seus clientes satisfeitos.


"Eu criei um mecanismo. Juntei o Photoshop e mais três aplicativos de celular, sendo eles o FaceApp, o Remini e o Gradient. Esses três aplicativos qualquer pessoa pode usar, mas eu uso o pró, que tem mais funções. Toda a minha arte é baseada nesse mecanismo que eu criei", começa a explicar.

Publicidade


"Como eu tenho dom para desenhar - no passado eu fazia retratos com a pessoa parada na minha frente -, então eu acredito que por meio desse dom que eu tenho, de conseguir captar as características das pessoas, eu consigo trazer isso para a arte digital. Acredito que é isso que está me fazendo ser reconhecido mundialmente", conclui.


Preço acessível


Hidreley relembra que, no começo de sua carreira, fazia as artes "por pura diversão", mas, com o sucesso e a alta procura, decidiu pôr um valor no seu trabalho e deixar de lado a sua antiga profissão.

Publicidade


"Eu tinha uma empresa de salgados e parei para trabalhar somente com progressões. Atendo pessoas que me pedem para fazer entes queridos que já falaceram e como estariam hoje, ou bebês que ainda não nasceram, que faleceram ainda na gestação ou no nascimento", ressalta.


O que pode surpreender quem procura esse tipo de trabalho é o valor. Quando se fala de novidades tecnológicas, pensa-se em um preço quase inacessível. No entanto, Hidreley Diao revela que todos podem pagar para ter uma obra de progressão.

Publicidade


"Eu cobro um valor simbólico para atender a essas pessoas. É R$ 100 por imagem. Algumas eu levo cerca de duas horas [para fazer], outras demoro dois ou três dias, porque eu sou uma pessoa muito perfeccionista e não consigo entregar um trabalho sem ter a certeza que a pessoa vai se emocionar ao ver a imagem. Tenho 100% de retorno positivo", explana o artista.


Sucesso internacional


Diferentemente do que se possa imaginar, o sucesso de Diao aconteceu primeiro fora do país. As manipulações de obras de arte de figuras históricas foram as responsáveis por tornar o brasileiro "uma sensação" no exterior.


"Eu trago para a atualidade figuras históricas e pinturas. Isso encantou o pessoal lá de fora. Sites virais como o BuzzFeed falou três vezes sobre a minha arte. O The Mirror, o New York Post, o The New York Times... A revista Newsweek dedicou uma página inteira falando da minha arte, então, é mídia que serve de cartão de visita. Você saindo nessas revistas, o mundo passa a te conhecer", comemora Diao.


Após a repercussão internacional, as obras passaram a viralizar no Brasil também. "Fui a programas legais, como o do Danilo Gentilli e o Balanço Geral da Record de São Paulo. Programas importantes da televisão me procuraram e aumentaram mais ainda o conhecimento das pessoas sobre a minha arte", reitera.


No início desta semana, uma nova surpresa chegou a Hidreley Diao. Seguidores começaram a compartilhar com ele uma interação de Elon Musk - bilionário estadunidense e proprietário do Twitter - com uma de suas obras.


"É incrível quando uma pessoa tão importante como ele consegue visualizar uma arte sua. Eu posso dizer que um dos homens mais importantes do mundo sabe que existe um artista com o nome Hidreley. Eu fiquei muito feliz."


Podcast da Folha de Londrina


Em maio de 2022, a Folha de Londrina lançou a série documental em podcast "Banco dos Réus", em que jornalistas do Grupo Folha investigavam os crimes mais marcantes que ocorreram no município. À época, Hidreley Diao foi procurado para fazer a progressão de Marcos Panissa, assassino de Fernanda Estruzani, morta com 72 facadas em agosto de 1989. Confira abaixo como ficou o resultado:



Famosos entram na 'brincadeira'


Recentemente, diversos famosos começaram a publicar nas redes sociais imagens de seus supostos futuros filhos, de acordo com a IA. Entre eles, o cantor sertanejo Luan Santana, a digital influencer e psicóloga conhecida como Pequena Lo e o youtuber Felipe Neto. Confira a seguir alguns resultados:

Nos comentários das publicações, muitas pessoas ficaram assustadas com o uso dessas tecnologias e questionaram sobre o futuro catastrófico que elas poderiam ocasionar. Mas, para Hidreley, a inteligência artificial é trabalho humano e deve ser tratada como evolução da arte e não como "destruição" dela.


"A inteligência artifical veio para acrescentar e é assustador como, a cada dia que passa, uma coisa nova surge. Mas é isso, nunca vai parar. Temos que ver o lado positivo. Muitas pessoas são contra a IA principalmente na arte, dizendo que ao digitar uma frase uma arte inteira se faz. Com certeza, mas temos que lembrar que há uma mente humana por trás dessa máquina", pondera.


"Claro, ela pode ser utilizada para o mal, como o deepfake - que são vídeos em que são inseridos os rostos de qualquer pessoa -  da propaganda da Volkswagen, por exemplo", conclui o artista.


*Sob supervisão de Fernanda Circhia, editora


LEIA MAIS SOBRE O ASSUNTO:


Imagem
Elis Regina renasce digitalmente em dueto com Maria Rita; entenda como foi feito
Um novo dueto entre Elis Regina e sua filha, Maria Rita, impressionou internautas nessa terça-feira (4). A cantora, morta em 1982, teve seu rosto recriado com alto nível de realismo por inteligência artificial.
Publicidade

Últimas notícias

Publicidade