Pesquisar

Canais

Serviços

Publicidade
Surpresas

Fim de 'Travessia' põe Gloria Perez em xeque com Cássia Kis cancelada e Jade elogiada

- Divulgação
Guilherme Luis - Folhapress
05 mai 2023 às 17:11
siga o Bonde no Google News!
Publicidade
Publicidade

"Travessia", que chega ao fim nesta sexta-feira (5), vai deixar um sabor amargo na boca dos noveleiros. O folhetim de Gloria Perez atravessou uma série de obstáculos desde antes da sua estreia, em outubro passado, e foi alvo de críticas do início ao fim.


Publicidade
Publicidade

A primeira pedra no sapato de Perez foi Jade Picon. A autora foi rechaçada nas redes sociais por causa da escalação da influenciadora e ex-BBB, que nunca tinha trabalhado como atriz. Foram tantas críticas que o sindicato da área precisou se movimentar para impedir Picon de continuar no elenco. Levou um mês até que a entidade autorizasse a sua participação.

Leia mais:

Imagem de destaque
Depois de 2 meses

Disney deixa briga com Elon Musk de lado e volta a usar X em transmissões da ESPN

Imagem de destaque
Em dinâmica

MC Bin Laden ganha Poder Curinga, que garante imunidade no Paredão do BBB 24

Imagem de destaque
Avisa Lá

Globo promove Paulo Vieira e quadro do Fantástico vira programa na TV aberta

Imagem de destaque
Prova da liderança

Raquele é a nona líder do BBB 24


Perez defendia a influenciadora. "Acontece da gente ver uma pessoa e sentir que ali pode ter alguém a olhar com atenção. Ela foi testada com bastante rigor e só entrou na novela porque se saiu muito bem", disse à Folha quando a novela estreou.

Publicidade


O público não teve a mesma percepção. Picon virou meme na internet por causa do sotaque carioca forçado e das caras e bocas exageradas que fazia para compor Chiara, uma riquinha mimada.


Foi só depois de oito meses no ar que ela começou a ser elogiada pelo público. Há quem diga que ela demonstrou ter potencial para a carreira de atriz em cenas dramáticas da reta final.

Publicidade


Não foi só a novata que esteve no centro das polêmicas. A veterana Cássia Kis, que vive na novela a executiva Cidália, foi criticada nas redes sociais por incentivar atos golpistas contra a eleição do presidente Lula, do PT.


Apoiadora declarada de Jair Bolsonaro e católica conservadora, Kis foi vista várias vezes carregando terços em passeatas em prol do ex-presidente.

Publicidade


Além disso, a atriz disse numa live no Instagram que "não existe mais o homem e a mulher, mas a mulher com mulher e homem com homem. Essa ideologia de gênero que já está nas escolas [...] quer destruir a família".


Surgiram rumores de que sua participação na novela seria reduzida por causa do comentário considerado homofóbico. Ela negou e fez deboche na época. Sua personagem de fato não perdeu relevância até o final.

Publicidade


Gloria Perez também foi acusada de apoiar Bolsonaro depois de curtir um tuíte que defendia a reeleição dele. A autora negou que estivesse declarando voto e disse estar sendo patrulhada a este jornal.


Perez também caiu no desgosto do público porque respondia com acidez às críticas que "Travessia" recebeu nas redes. Não era raro vê-la criticando publicações que falavam do fracasso de audiência.

Publicidade


"Travessia" também sofreu com um roteiro sem pé nem cabeça. Conhecida por suas tramas rocambolescas, Perez nesta novela quis criticar fake news e jogar luz sobre os perigos da tecnologia.


A protagonista Brisa, de Lucy Alves, começa sendo vítima de "deepfake", técnica de inteligência artificial usada para criar vídeos falsos em que rostos e vozes originais são substituídos pelos de outra pessoa. Foragida, ela passou dias sem sequer cogitar se comunicar com sua família pelas redes sociais. É no mínimo contraditório para uma novela cheia de assuntos modernos.

Publicidade


Além disso, na reta final, Brisa perde a guarda do filho porque eles não compartilham o mesmo DNA -a personagem supostamente sofre de uma condição raríssima de variação de genes. Houve quem dissesse que o desenrolar da trama foi exagerado e inverossímil.


"Travessia" foi ofuscada pela popularidade de "Todas as Flores", novela que sucederia "Pantanal", mas acabou sendo levada ao Globoplay. Sem precisar se prender às amarras da TV aberta, o folhetim cativou o público com seu elenco afinado, história dinâmica e cenas de sexo ousadas.


Ana Lúcia Torre, que interpreta Tia Cotinha, disse que o elenco enfrentou dificuldades na gravação de "Travessia" por causa de problemas internos. Em entrevista ao portal da jornalista Heloisa Tolipan, a atriz afirmou que nunca leu o roteiro de uma semana inteira com antecedência, e que foi difícil gravar a novela.


"Travessia" encerra pondo Gloria Perez em xeque. "Não pude fazer a pesquisa da maneira que sempre faço. Também não consegui estar envolvida com os atores e a produção da maneira de sempre", ela disse à Folha no mês passado.


Sua novela será substituída por "Terra e Paixão", escrita por Walcyr Carrasco. O novo folhetim vai apostar no cenário rural, ingrediente que deu certo em "Pantanal". É como se a Globo quisesse superar os delírios urbanos de "Travessia".

Publicidade

Últimas notícias

Publicidade