Pesquisar

Canais

Serviços

Entenda

Abel quer 'samba' e verticalidade para Palmeiras decolar rumo ao título

- Cesar Greco/Palmeiras
UOL/Folhapress
12 nov 2023 às 11:36
Publicidade
Publicidade

O Palmeiras assumiu a liderança provisória do Brasileirão ao vencer o Inter, no sábado (11), por 3 a 0. E para a arrancada cujo objetivo é o título, Abel Ferreira tem suas apostas: "samba" e verticalidade.


Publicidade
Publicidade

Em entrevista coletiva após o triunfo na Arena Barueri, o português afirmou que não gosta de sua equipe tocando para o lado ou para trás, mas que "quer ver samba".

Leia mais:

Imagem de destaque
Saiba mais

CBF oficializa Rodrigo Caetano como novo homem-forte das seleções

Imagem de destaque
Na mira de títulos

'Merecer vencer': Flamengo de Tite adota lema por títulos e briga por vaga

Imagem de destaque
5 anos depois

Flamengo terá que indenizar família de vítima do incêndio no Ninho

Imagem de destaque
Estevão

Messinho? Abel rejeita apelido e repete fórmula com nova joia do Palmeiras


A analogia serve para citar a forma de jogar da equipe quando retoma a bola, buscando chegar ao gol adversário em poucos passes.

Publicidade


Além disso, o treinador valorizou o grupo de jogadores dizendo que se orgulha de comandar o Alviverde. Para isso, citou os casos de Endrick e Rony, que viveram oscilações na temporada, mas seguem fundamentais ao time.


VERTICALIDADE, JOGADORES E BRIGA PELO TOPO 

Publicidade


QUANDO SER VERTICAL

Publicidade


"Quando falo em verticalidade é quando roubamos a bola, daí em quatro passes precisamos estar concluindo. Isso é um comportamento em transição ofensiva, olhar para frente, ser vertical. Se não tiver condições, temos que iniciar outro processo, fazer a circulação de bola para mexer a defesa do adversária, são momentos do jogo. Ainda temos esquemas táticos em que somos fortíssimos. E por último é a qualidade do jogador. Os melhores treinadores do mundo dizem que os melhores jogadores fazem coisas diferentes, abrem o jogo contra adversários fechados".

Publicidade


ENDRICK E RONY VÃO AJUDAR


Publicidade

"O Endrick enquanto tem energia, fica lá dentro (do campo). Depois, eu posso fazer uma pergunta: por que tenho outros 11 jogadores sentados no banco de reservas comigo? É para ver o jogo inteiro? Vocês (jornalistas) já viram esse aparelho que jogamos? Ele mede quanto corre, a velocidade... Um carro, quando perde rendimento, é altura de trocar. O Endrick fez o que tinha que fazer, estamos muito contentes com ele, começou bem a temporada, teve um período difícil, voltou graças a trabalho e dedicação dele. Por isso é um jogador especial, foi vendido com uma idade especial para um clube especial. O Rony é o contrário, começou bem, caiu, está voltando. Todos os jogadores têm altos e baixos e não faço isso que tem que jogar sempre os mesmos. Aqui parece que alguém diz que tem que ser sempre os mesmos. Quem sabe isso? O Endrick foi bem, ajudou, o Rony ajudou, foi espetacular".


ABEL NÃO FAZ CONTAS PARA SER CAMPEÃO

Publicidade


"Eu estou tão preocupado com essas contas que não as fiz. O que me preocupa é preparar minha equipe. Agora temos Botafogo contra Bragantino, e eles que se desenrasquem".


O MÉRITO É DOS JOGADORES


"O treinador tem muito pouco nas vitórias, na minha opinião. São os jogadores que chutam, jogam, decidem. A função do treinador é criar um espírito muito forte e dar condições para a equipe. No resto são eles que fazem a diferença. Qualquer elenco faz de mim um bom treinador ou me manda embora, porque os jogadores estão acima de tudo. Minha missão é ajudar eles a serem melhores jogadores. Eu sou um treinador, quer gostem ou não, que tem autoconfiança. Sei das minhas capacidades".


Imagem
Londrina EC sofre segunda queda para Série C em quatro anos
Nem o mais distraído torcedor alviceleste ficou surpreso com o rebaixamento do Londrina para a Série C. O segundo em quatro anos. Desde
Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade