16/04/21
PUBLICIDADE
Reunião

Bolsonaro discute volta do futebol com presidentes de Flamengo e Vasco

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) recebeu nesta terça-feira (19) Rodolfo Landim e Alexandre Campello, mandatários de Flamengo e Vasco, para um almoço no Palácio do Planalto. A reunião não estava prevista na agenda oficial de Bolsonaro. Até o final da tarde, a Secretaria Especial de Comunicação Social do governo federal não havia informado o motivo do encontro.

Reprodução
Reprodução


Nele, Bolsonaro voltou a manifestar o desejo de ver a retomada do futebol no país, que já ultrapassou a marca de 17 mil mortes pela Covid-19 e ainda não atingiu o pico da doença. Ele disse a Landim e Campello que isso seria importante para a sociedade e serviria como um passo para a volta à normalidade em meio à pandemia.

No fim de abril, o presidente já havia afirmado que essa decisão não cabe ao governo federal, mas que tanto o Ministério da Saúde quanto a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) publicariam recomendações para que os jogos voltem a ocorrer, desde que disputados sem a presença de torcida.

Na sequência, o ministério fez várias ressalvas a um guia médico que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) submeteu para análise da pasta com um plano de retomada.

Por causa do coronavírus, o esporte está paralisado no Brasil desde a primeira quinzena de março. Nenhuma federação estadual nem a CBF trabalham neste momento com datas para o retorno de competições.

Poucos países do mundo reiniciaram suas atividades esportivas até agora. No último fim de semana, a Alemanha voltou a ter jogos da Bundesliga, mas sem a presença de público nas partidas e sob um rígido protocolo sanitário.

O país registrou 8.176 mortes por Covid-19 até agora, mas já passou pelo pico do contágio e aos poucos implementa medidas de relaxamento da quarentena.

Outros países europeus liberaram treinamentos nas últimas semanas com a expectativa de a bola voltar a rolar em junho. Todos eles já passaram pelo pico da doença.

Durante o encontro, os dois cartolas se mostraram simpáticos à ideia de retomada do futebol, mas não se comprometeram com uma data para reiniciar os treinamentos. Seus rivais Fluminense e Botafogo têm se posicionado de forma contrária à volta das atividades neste momento.

O Flamengo já realizou uma bateria de exames em que 38 dos 293 testados (13%) entre atletas, membros da comissão técnica, outros funcionários e seus familiares tiveram resultados positivos para o novo coronavírus.

O Vasco montou um protocolo a ser seguido pelos seus funcionários para a retomada de treinos, mas ainda não o colocou em prática.

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), vetou o reinício das atividades nos clubes. Segundo ele, podem se reapresentar apenas os atletas que necessitam de sessões de fisioterapia.

Bolsonaro citou a possibilidade de os times do Rio treinarem em Brasília. Flamengo e Vasco poderiam utilizar as instalações do estádio Mané Garrincha. O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), já havia feito essa oferta, assim como a empresa que administra o estádio.

"Brasília é o local ideal para testarmos os protocolos para a volta do futebol. Temos poucos casos do coronavírus em relação a outros estados. O estádio nacional está pronto para acomodar as pessoas envolvidas na partida e cumprindo a ordem de distanciamentos", afirmou o empresário Richard Jean Marie Dubois, gestor do Mané Garrincha.

Embora propensos a aceitá-las, os clubes têm receio da reação de seus elencos e torcedores. Segundo o Globoesporte.com, o Flamengo estuda pagar a hospedagem de familiares dos atletas, se a ideia vingar. Também estiveram presentes na reunião, em que não foram respeitadas orientações de distanciamento social e uso de máscara, o chefe do departamento médico do Flamengo, Márcio Tannure, e o diretor de marketing Aleksander Santos.

Filho de Jair Bolsonaro, o senador Flavio Bolsonaro (Republicanos-RJ) também acompanhou o encontro.
Landim presenteou o presidente da República com o novo modelo da camisa reserva do Flamengo. Bolsonaro o vestiu e posou para fotos. Palmeirense, ele já foi fotografado com diversos uniformes de times brasileiros, até mesmo modelos piratas.

As assessorias de imprensa de Flamengo e Vasco disseram que os clubes não comentarão nada sobre a reunião. A reportagem entrou em contato com Campello e Landim, mas eles não retornaram às ligações. Ao Globoesporte.com, o ex-presidente e membro do comitê gestor do futebol do Botafogo, Carlos Montenegro, criticou a atitude dos rivais.

"Os clubes têm que ser grandes dentro e fora de campo. É uma atitude de time pequenininho. Eles podem se tornar homicidas forçando uma barra dessas", afirmou. "Não temos o elenco do Flamengo, mas aqui não tem irresponsável. A síntese é a seguinte: isso é uma covardia com os jogadores, a comissão técnica e os familiares dessas pessoas todas."

Alfredo Sampaio, presidente do Sindicato dos Atletas de Futebol do Estado do Rio de Janeiro, classificou a reunião como uma demonstração de egoísmo e de desprezo com a vida dos jogadores. "Fácil para os grandes do Rio viajarem e se acomodarem em Brasília, e os oito times restante do Carioca, terão condições?", questionou.
Folhapress
Continue lendo
Neste fim de semana!

Londrina estreia na temporada em torneio de atletismo

16 ABR 2021 às 16h17
Choque-Rei

Técnicos de São Paulo e Palmeiras se reencontram após se enfrentarem duas vezes como atletas

16 ABR 2021 às 10h15
Sequência 'anormal'

Jogo contra Ponte Preta inicia maratona de jogos no Santos

16 ABR 2021 às 09h15
Paulista

Corinthians recebe São Bento com volta de titulares

16 ABR 2021 às 08h31
Carioca

Vasco bate Flamengo por 3 a 1 e encerra jejum de 17 jogos no clássico

16 ABR 2021 às 07h39
Evolução

Proibido 80 anos atrás, futebol feminino no Brasil evolui e busca recuperar atraso

15 ABR 2021 às 16h35
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados