01/10/20
PUBLICIDADE
Futebol e política

Corinthians aprova veto do TSE à criação do Partido Nacional Corinthiano

O PNC (Partido Nacional Corintiano) segue sem existir oficialmente. O plenário do TSE negou na quinta-feira (20) o registro do partido por unanimidade. Segundo apurou o UOL Esporte, o Corinthians concordou com a decisão do TSE, pois sempre foi contra a criação do partido por acreditar que essa ideia foge totalmente dos propósitos do time. No entanto, o clube paulista não se pronuncia oficialmente sobre o caso.

Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook


O Tribunal Superior Eleitoral alegou que o projeto não obteve o número de assinaturas necessárias durante o período de dois anos exigidos pela lei. Com isso, o PNC continua sem sair do papel, sem poder participar das eleições deste ano.

No ano passado, o Blog Lei em Campo, do UOL, teve acesso ao estatuto do partido, que foi publicado no Diário Oficial da União em 29 de agosto de 2018. No segundo parágrafo, é mencionada a ausência de ligação com o clube ou o time de futebol.

No artigo 3º, aparecem os princípios do partido: "o PNC foi inspirado no ethos corinthiano, está fundamentado nos princípios básicos do Esporte, Saúde e Educação".

O estatuto destaca a promoção de valores patrióticos, a oposição às políticas que beneficiam o capital em detrimento ao interesse dos trabalhadores, assim como a oposição a qualquer ação política de viés machista, racista e homofóbico e a postura independente em relação a qualquer governo.

Desde a minirreforma eleitoral, de setembro de 2015, para se criar um partido é necessário colher, num prazo de dois anos a partir do registro da legenda em cartório, um número de apoios equivalente a 0,5% dos votos válidos na mais recente eleição para deputado federal, o que hoje resulta em aproximadamente 500 mil assinaturas.

O PNC, que surgiu em Ubatuba (SP) por iniciativa de torcedores e não tem vínculo formal com o clube paulista, não conseguiu colher as assinaturas suficientes dentro do prazo, mas alegava que a regra de 2015 não se aplicava a seu caso, uma vez que obteve o registro civil em cartório um mês antes da promulgação na minirreforma eleitoral.

É a segunda vez que o PNC tenta obter seu registro junto ao TSE, medida que abre caminho para se ter acesso às verbas de financiamento a partidos políticos. Um primeiro pedido foi negado em agosto de 2015. O Brasil possui hoje 33 partidos políticos registrados e aptos a ter candidaturas próprias e financiamento público em eleições.
Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Veja tabela!
Copa do Brasil define oitavas com entrada dos times da Libertadores
01 OUT 2020 às 12h10
Ele fica
São Paulo se diz indignado eliminação, mas decide manter Diniz
01 OUT 2020 às 11h03
Deu ruim
NFL adia partida após primeiro surto de Covid-19 na temporada
01 OUT 2020 às 10h41
Veja os gols!
Palmeiras goleia Bolívar e vai às oitavas da Libertadores
01 OUT 2020 às 09h42
Em isolamento
Neto, ex-jogador e apresentador da Band, está com coronavírus
01 OUT 2020 às 09h27
Em Brusque
Londrina EC busca reabilitação e volta ao G4 na Série C
01 OUT 2020 às 09h11
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados