Pesquisar

Canais

Serviços

Os jogos serão disputados na Arena da Baixada - Reprodução
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Copa de 2014

Curitiba é eleita uma das subsedes

Agência Estado / AEN
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

A Fifa anunciou neste domingo as 12 cidades brasileiras que receberão os jogos da Copa do Mundo de 2014, espalhadas por todas as regiões do País. São elas: São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, da região Sudeste; Porto Alegre e Curitiba, no Sul; Brasília e Cuiabá, no Centro-Oeste; Salvador, Recife, Fortaleza e Natal, no Nordeste; e Manaus, no Norte.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

A lista não teve nenhuma surpresa, já que essas cidades eram apontadas como favoritas entre as 17 candidatas. Originalmente deveriam ser apenas 10 sedes, mas a Fifa atendeu ao pedido do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e do governo brasileiro - o presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu os agradecimentos do presidente da Fifa, Joseph Blatter, por seu apoio à organização da competição.

Continua depois da publicidade


"Ter 10 sedes era o princípio da Fifa, mas a intervenção de Ricardo Teixeira e o interesse do País fizeram com que chegássemos ao número de 12", admitiu Blatter durante o anúncio, realizado durante um congresso da Fifa, em Nassau, nas Bahamas. O presidente de honra da Fifa, João Havelange, que comandou a entidade entre 1974 e 1998, esteve presente na cerimônia.


O secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, disse que a escolha obedeceu a critérios técnicos, por conta das visitas feitas por técnicos da entidade, no começo deste ano, além dos projetos entregues pelas cidades. Blatter admitiu, depois, que a escolha mais difícil foi na região da Amazônia, onde Manaus foi escolhida em detrimento de Belém e Rio Braco. As outras cidades que ficaram sem a Copa são Florianópolis, Goiânia e Campo Grande.


"A questão não é apenas ser ou não ser sede, mas participar. Os empregos e investimentos da Copa não vão ficar restritos às sedes, e todas as outras cidades podem contar conosco se quiserem apresentar um projeto", disse Ricardo Teixeira, que já mandou um recado às cidades escolhidas. "O trabalho começa agora, e é preciso estar à altura desse grande privilégio."

Continua depois da publicidade


CURITIBA - Na ocasião, o vice-governador Orlando Pessuti salientou que o trabalho no Paraná está apenas começando. "Precisamos nos reunir com vereadores, deputados, senadores, ministros, representantes da Fifa e da CBF para colher informações. Vamos estar atentos à Copa na África do Sul para ver no que eles estão acertando ou errando para que possamos fazer um trabalho perfeito", disse o vice-governador.


Para se candidatar à subsede, cada estado indicou um estádio – no Paraná, a Arena da Baixada (Atlético) – e apresentou projetos de melhorias de infraestrutura das cidades. No caso paranaense, foi instalado em 2008 o Comitê Executivo para Assuntos da Copa do Mundo Fifa 2014, presidido por Pessuti e composto por representantes dos governos estadual e municipal, entidades e sociedade civil organizada, para coordenar os trabalhos.


Desde então, os representantes se reuniram muitas vezes, foram a Brasília conversar com diretores da CBF e se encontraram com ministros, deputados, vereadores e prefeitos a fim de reunir informações para a elaboração do projeto de infraestrutura. O estudo enviado à CBF é baseado no caderno de encargos apresentado pela Fifa e foi desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc).


Os projetos vão atender os setores de energia, saneamento, saúde pública, meio ambiente, mobilidade urbana, turismo, segurança, habitação e educação. Entre os principais pontos estão obras de engenharia e arquitetura, que visam melhorar a acessibilidade e a mobilidade em Curitiba e Região Metropolitana. São obras, por exemplo, nas avenidas das Torres, Marechal Floriano Peixoto, Visconde de Guarapuava e Cândido de Abreu. Também estão previstas ações para a interligação das cidades da RMC, visando desafogar o trânsito.


A praça em frente à Arena da Baixada será reformada e mudanças internas devem ser feitas no estádio, como iluminação, cobertura e ampliação de estacionamento e de área para a imprensa. O projeto prevê capacidade para 41.293 pessoas, entre espectadores, jornalistas e convidados na Arena, e estacionamento com 1.153 vagas, além de um telão do lado de fora do estádio.

Cidades do interior do Estado também serão beneficiadas com a vinda da Copa do Mundo, com melhorias em aeroportos e rodovias, conforme prevê o projeto. Os municípios poderão hospedar as seleções durante os treinos, antes das estréias. Também é esperado grande número de turistas, fomentando o setor. "Temos a cidade de Paranaguá, por exemplo, com o Porto, e todo o Litoral paranaense; o município de Ponta Grossa, com os Campos Gerais; Foz do Iguaçu, com as Cataratas do Iguaçu; Londrina, Maringá, Cascavel, Guarapuava e tantas outras cidades com muitos atrativos", salientou Pessuti.


Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade