Pesquisar

Canais

Serviços

- Cesar Greco/Agência Palmeiras
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Na temporada

Derrota escancara dificuldade do Palmeiras para virar partidas

Folhapress
23 ago 2021 às 11:06
Continua depois da publicidade

O gol relâmpago marcado por Clayson após 71 segundos de bola rolando abriu caminho para a vitória do Cuiabá de 2 a 0 contra o Palmeiras, na manhã de domingo (22), no Allianz Parque. A rapidez com a qual o tento foi marcado expôs, mais uma vez, um problema do Palmeiras neste Brasileirão e também na temporada. Mesmo com quase todos os 90 minutos pela frente, o time não conseguiu virar a partida. Uma reviravolta no placar foi algo que a equipe de Abel Ferreira só conseguiu em três ocasiões em 2021, duas no campeonato nacional.

Continua depois da publicidade


Dos 17 jogos do Palmeiras no Brasileirão, o Palmeiras saiu atrás do marcador seis vezes. Somente em duas ocasiões (2 a 1 contra o América-MG e 3 a 2 contra o Bahia) a equipe conseguiu sair de campo com a virada. Se analisada toda a temporada, os dois jogos ganham a companhia apenas da partida contra o Guarani (2 a 1), pelo Campeonato Paulista.

Continua depois da publicidade


"A comissão técnica estaria se preocupando se a equipe não estivesse criando chances. Estamos criando situações suficientes para materializar em gol. A verdade é que precisa de um pouquinho mais de tranquilidade para o cabeceio ou o chute saírem melhor. Tivemos três ou quatro chances que ficaram faltando um pouco mais de aprimoramento técnico e que poderia ajudar no resultado, infelizmente isso não aconteceu", comentou Vitor Castanheira, auxiliar técnico que comandou a equipe contra o Cuiabá. Abel estava suspenso.


De acordo com o dito pelo auxiliar, a falta de poder de reação alviverde passa também pelo baixo aproveitamento das oportunidades. Ontem, Deyverson teve cinco grandes chances, mas não conseguiu convertê-las em gol. Outra explicação pode ser encontrada na estratégia que o adversário adota em campo. Contra equipes que se fecham, o Palmeiras não costuma se dar bem.

Continua depois da publicidade


Apesar de ter repetido a escalação do time que venceu o rival São Paulo por 3 a 0 no meio da semana, o Palmeiras não conseguiu executar contra o Cuiabá as mesmas ações ofensivas que teve no clássico. Diferente do Tricolor, o time de Mato Grosso optou por se fechar ainda no primeiro tempo por conta do gol no minuto inicial, buscando explorar os contra-ataques para matar o jogo, o que aconteceu nos minutos finais da partida, já nos acréscimos.


As dificuldades para superar as linhas do adversário ficaram evidentes nas estatísticas do jogo, com números altíssimos de cruzamentos (52) e finalizações (31), mas baixos se comparados com os chutes ao alvo (7).


Poucos treinos

Pela primeira vez sob o comando de Abel Ferreira, o Palmeiras terá quatro compromissos seguidos com uma semana inteira para treinar. Como já está fora da Copa do Brasil, o time jogará pelo Brasileirão nos próximos finais de semana contra Athletico Paranaense (28), Ceará (5), Flamengo (11) e Chapecoense (19) antes de encontrar o Atlético-MG, dia 21 de setembro, pela semifinal da Libertadores.


Continue lendo