Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Pela terceira vez seguida

Flamengo supera Botafogo nos pênaltis e é campeão

Agência Estado
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

O Flamengo conquistou neste domingo o tricampeonato carioca pela quinta vez em sua história e a hegemonia no Rio de Janeiro. Faturou o 31º título estadual, um a mais que o Fluminense, ao derrotar o Botafogo nos pênaltis por 4 a 2, após empate no tempo normal por 2 a 2 - nos mesmo moldes da decisão de 2007 entre os dois clubes.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

O time comandado pelo técnico Ney Franco deixou o Maracanã desolado e com o incômodo rótulo de tri vice - perdeu a terceira final regional em sequência para o rival. O herói do Flamengo foi o goleiro Bruno, que defendeu pênalti cobrado por Victor Simões no tempo normal, quando o Flamengo vencia por 2 a 0.

Continua depois da publicidade


A exemplo de 2007, Bruno se transformou numa muralha na disputa por pênaltis. Tornou-se um gigante debaixo da baliza e defendeu cobranças do zagueiro Juninho e do volante Leandro Guerreiro. "Pênalti não é loteria. Mantive a tranquilidade e fui feliz", disse o goleiro, entre um cumprimento e outro.


Ao escutar o grito de "ão, ão, ão, o Cuca é campeão" vindo das arquibancadas, o técnico Cuca se ajoelhou no gramado e chorou. Estava aliviado e emocionado com o primeiro troféu de expressão que erguera em sua carreira. "Muito obrigado", dizia para os torcedores.


Realmente, tem coisas que só acontecem com o Botafogo. Depois de sofrer dois gols na primeira etapa, quase ninguém apostava numa reação alvinegra, ainda mais sem seus principais atletas: o meia Maicosuel e o atacante Reinaldo, vetados da final por contusão.

Continua depois da publicidade

No entanto, o time de General Severiano empatou o jogo, com gols de Juninho e do volante Túlio Souza, e parecia que o título estava próximo. Parou por aí. "Entrei para a história do Flamengo. É a terceira vez seguida que sou campeão estadual. Não tem como segurar a emoção", vibrou o lateral-esquerdo Léo Moura.


Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade