Pesquisar

Canais

Serviços

- Lucas Figueiredo/CBF
Seleção brasileira

Liberação de jogadores na Inglaterra pode ser problema para Tite

Folhapress
24 ago 2021 às 09:44
Continua depois da publicidade

Os clubes ingleses com jogadores convocados para a seleção brasileira de futebol masculino podem se transformar em dor de cabeça para Tite.

Continua depois da publicidade


De acordo com o diário Daily Mail, o Liverpool não deseja liberar o goleiro Alisson, o volante Fabinho e o atacante Firmino para a rodada tripla das eliminatórias para a Copa do Mundo. Segundo a BBC, outros times do país podem seguir o exemplo e também exigir a permanência dos seus atletas.

Continua depois da publicidade


Entre os selecionados por Tite que atuam na Premier League, também estão o goleiro Ederson (Manchester City), o zagueiro Thiago Silva (Chelsea), o volante Fred (Manchester United), o meia-atacante Raphinha (Leeds United) e os atacantes Gabriel Jesus (City) e Richarlison (Everton).


O Brasil terá pela frente, em setembro, o Chile (dia 2), a Argentina (5) e o Peru (9).

Continua depois da publicidade


A reclamação das equipes é quanto à quarentena que os estrangeiros precisam cumprir ao voltar à Inglaterra. Além das rodadas programadas para as datas das eliminatórias, os atletas teriam de ficar dez dias confinados chegando de um país considerado de risco por causa da Covid-19. É o caso do Brasil.


Em nota no seu site, o Liverpool informou não pretender liberar o atacante egípcio Salah para atuar contra Angola, no Egito, outra nação incluída na lista de restrições pelo governo britânico.


Os times ingleses e a federação do país vão pedir uma regra de exceção para que os jogadores não precisem cumprir quarentena. Solicitação que o governo negou à seleção de rúgbi do país que voltou da África do Sul.


A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) crê em uma solução e não se preocupa com o assunto no momento. Pelo fato de se tratar de uma data oficial da Fifa (Federação Internacional de Futebol), os clubes europeus seriam obrigados a dispensar os convocados, mas o assunto pode ser tornar uma crise política.


A entidade que controla o futebol mundial, no ano passado, abriu a possibilidade de as agremiações não liberarem seus atletas por causa da pandemia.

Consultada, a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) diz acompanhar o caso.


Continue lendo