Pesquisar

Canais

Serviços

Jogo duro

Mano não quer ver "pendurados" tirando o pé de divididas

Agência Estado
17 jun 2009 às 21:01
Publicidade
Publicidade

Jogar bem, marcar e não sofrer gols. São muitas as preocupações do Corinthians para o jogo desta quarta-feira diante do Internacional. E uma está tirando o sono do técnico Mano Menezes: os jogadores "pendurados". Chicão, Elias, Cristian, Jorge Henrique e Souza já tomaram dois cartões amarelos e correm risco de desfalcar o Corinthians na partida decisiva, no dia 1.º de julho, em Porto Alegre.

"É sempre ruim entrar num primeiro jogo tendo de cuidar disso", lamentou nesta terça-feira o treinador, que teve o mesmo problema na decisão do Campeonato Paulista contra o Santos. Na oportunidade, entrou com seis "pendurados" na Vila Belmiro e perdeu apenas o zagueiro Chicão. Agora, o defensor tenta pelo terceiro ano seguido a conquista da Copa do Brasil - perdeu em 2008 pelo Corinthians e um ano antes defendendo o Figueirense, diante do Fluminense.

Cadastre-se em nossa newsletter

Publicidade
Publicidade


Mano, contudo, já adiantou aos jogadores que não podem pensar apenas em estar na partida decisiva e descuidar do jogo de ida. "Falando do íntimo do jogador, sei que ninguém gosta de ficar ausente do duelo decisivo. É uma preocupação a mais. Mas não adianta pensar no segundo jogo se a situação de conquista escapar no primeiro confronto."

Leia mais:

Imagem de destaque
Sul-Americana

SBT tem maior audiência do ano em transmissão de vitória do Corinthians

Imagem de destaque
Favorito da torcida

Vini Jr. diz estar em sua melhor versão após gritos por Bola de Ouro

Imagem de destaque
Treta

Textor envia ao STJD gravação usada para alegar corrupção de ex-árbitro

Imagem de destaque
Fica ou sai?

Corinthians venera Cássio em meio a mistério no clube


Outra recomendação de Mano Menezes é saber administrar a posse de bola e não atacar desorganizadamente por causa dos gritos da torcida. "Temos de buscar a vitória sem dar a chance de o Inter contra-atacar a todo momento. Não podemos querer resolver de qualquer maneira."

Já o capitão William vai usar a experiência de quando defendeu o Grêmio para orientar os companheiros. "O Inter é um time forte, aguerrido, que procura jogar muito no erro do adversário. Temos de estar espertos", disse. "Eles induzem o rival ao erro. Não podemos ter desespero. Muitas vezes teremos de trabalhar muito a bola, sem querer enfrentar a muralha desorganizados", seguiu. "Nosso torcedor tem de entender."


Publicidade
Publicidade

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade