Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Contra o Sport

Palmeiras joga para seguir vivo na Libertadores

Agência Estado
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

Depois de 36 dias de uma expectativa que se arrasta desde o vexame frente ao Colo Colo no Palestra Itália, o Palmeiras finalmente vai a campo para tentar exorcizar um fantasma: o Sport, na Ilha do Retiro. Ainda sem nenhum ponto no Grupo 1 da Libertadores, o time palmeirense precisa da vitória nesta quarta-feira (8) em Recife, em jogo que começa às 21h50, para manter vivo o sonho de classificação.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

A Libertadores é uma obsessão para jogadores, dirigentes e torcedores do Palmeiras. Tanto que, nesses 36 dias de espera, ninguém deixou de pensar no Sport antes, depois e até durante alguns jogos do Campeonato Paulista - o meia Diego Souza, por exemplo, comemorou o gol da virada contra o Botafogo, no último domingo, no Palestra Itália, gritando "É quarta-feira" para a torcida.

Continua depois da publicidade


Essa ansiedade, admitem os mais experientes, pode até jogar contra a equipe do Palmeiras, principalmente numa Ilha do Retiro lotada, com 37 mil torcedores do Sport. "É importante manter o foco na partida", disse Edmílson, capitão palmeirense que passou um mês recuperando a forma física justamente para o jogo desta quarta-feira.


Outro ponto que preocupa é a cobrança em torno do elenco palmeirense, bem mais jovem se comparado ao do Sport, que conta com trintões como o goleiro Magrão (31 anos), o lateral Dutra (35) e o meia Paulo Baier (34). No Palmeiras, com exceção dos pentacampeões Edmílson (32) e Marcos (35), os demais titulares têm menos de 25 anos.


Há ainda o fator psicológico. Depois de começar o ano desacreditado, o Palmeiras encantou sua torcida com boas apresentações no Paulistão, mas não conseguiu repetir esse futebol na Libertadores - perdeu para a LDU, em Quito, e para o Colo Colo, no Palestra Itália. Por isso mesmo, ficou em situação complicada no Grupo 1.

Continua depois da publicidade

"Ficar sem a vaga será uma frustração", admitiu o meia Diego Souza. "Mas não pode ser encarado como o fim do mundo", emendou o presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzzo, tentando passar confiança ao elenco antes do jogo desta quarta-feira, contra um Sport que vive situação oposta no Grupo 1 - é o líder, com seis pontos.


Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade