Pesquisar

Canais

Serviços

Felipe Szpak/Agência Corinthians
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Mercado da bola

Reta final é decisiva para o futuro de Sylvinho no Corinthians

Thiago Braga e Yago Rudá - Folhapress
28 nov 2021 às 13:30
Continua depois da publicidade

Apesar de o Corinthians ter iniciado a 36ª rodada do Brasileiro entre os quatro primeiros na tabela de classificação, o trabalho de Sylvinho ainda é bastante questionado por torcedores corintianos, devido às oscilações da equipe no torneio.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Enquanto em casa o time defende uma invencibilidade de dez jogos, com oito vitórias e dois empates, fora de seus domínios o clube do Parque São Jorge não vence há oito partidas, nas quais perdeu seis vezes e empatou duas.


Como motivo de alívio para a torcida alvinegra, neste domingo (28), o Corinthians enfrenta o Athletico na Neo Química Arena, em Itaquera, às 16h.


Na reta final do Nacional, o objetivo da equipe é conquistar uma vaga direta na Libertadores de 2022. No caso de Sylvinho, além da classificação, ele busca amenizar as críticas que tem recebido, sobretudo, pela falta de resultados fora de casa e o desempenho inconstante da equipe.

Continua depois da publicidade


GUSTAVO MOSQUITO


O atacante Gustavo Mosquito, do Corinthians, está sendo processado por Fernando Garcia, seu ex-empresário, em pouco mais de R$ 247 mil. O agente cobra a restituição do dinheiro emprestado ao atleta enquanto ainda jogava pelo Coritiba e também a quantia paga em nome do jogador pelos serviços terceirizados de consultoria para a retirada do passaporte italiano. Há ainda uma cobrança por passagens aéreas com destino a Roma, na Itália.


Em fevereiro de 2018, quando ainda era representado pela Elenko Sports, empresa de Fernando Garcia, Mosquito recebeu R$ 165 mil do agente. O dinheiro apenas teria que ser devolvido caso o atacante optasse em não manter seu contrato de representação, e foi exatamente o que aconteceu em abril deste ano, quando o jogador escolheu trocar Garcia por Carlos Leite -outro nome influente no mercado da bola.


Por conta da escolha de Mosquito, a Elenko Sports cobra a devolução do dinheiro, além de juros e correção monetária. Garcia também pede que o atacante o restitua dos R$ 45.677,14 pagos a uma empresa de assessoria e consultoria em dupla cidadania. Afinal, em 2018, o atleta deu entrada no pedido de seu passaporte italiano com todos os serviços e taxas pagos pelo seu ex-empresário.


Naquele mesmo ano, o jogador viajou a Roma acompanhado de sua esposa para regularizar o processo de retirada do passaporte do país europeu. As passagens para a capital italiana foram pagas pela empresa de Fernando Garcia, que agora cobra o dinheiro de volta. Ao todo, considerando juros e multas, o agente pede que lhe seja depositado R$ 247.251,14.


Após a Justiça ser acionada, a Elenko Sports pediu na sexta (26) que o processo fosse suspenso por 15 dias alegando que iniciou uma negociação com os advogados de Gustavo Mosquito para encontrar uma resolução amigável para o caso. Ainda não há um acordo entre o atleta e o agente, mas a tendência é de que a pendência seja resolvida extrajudicialmente.


Em contato com a reportagem, Fernando Garcia, assim como seus advogados, informou que não se manifestará sobre o assunto. O UOL Esporte procurou o atacante Gustavo Mosquito, mas o jogador do Corinthians, através de sua assessoria de imprensa, optou em não falar sobre o caso.


MILHÕES EM JOGO


Conforme revelado há um mês pelo Blog do Perrone, Garcia pode receber uma fortuna caso Gustavo Mosquito faça 60 jogos pelo Corinthians com pelo menos 45 minutos em campo. No contrato do atleta com o clube do Parque São Jorge, o Alvinegro se compromete a pagar R$ 4 milhões se a meta for alcançada. Restam apenas mais seis partidas para o atacante cumprir seu objetivo.


A porcentagem de Fernando Garcia no bônus é mantida em sigilo, mas a reportagem apurou que pelo menos 40% da quantia paga pelo Corinthians vai para os cofres do agente. Ainda há uma outra bonificação prevista em contrato caso Mosquito some 45 minutos em 110 partidas.


O atacante tem contrato com o Alvinegro até o fim 2023 e é visto como um nome importante no elenco comandado por Sylvinho. A diretoria corintiana espera conseguir vender Mosquito no próximo ano, mas conta com o atleta para a disputa da próxima temporada, quando possivelmente a equipe retorna à disputa da Copa Libertadores.


Estádio: Neo Química Arena, em São Paulo (SP)
Horário: 16h (de Brasília) deste domingo (28)
Juiz: Paulo Cesar Zanovelli da Silva (MG)
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga (RJ)
Transmissão: Globo

Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo