Pesquisar

Canais

Serviços

Paulo Pinto/saopaulofc.net
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

São Paulo se livra do rebaixamento, mas termina ano com pouco a celebrar

Brunno Carvalho - Folhapress
07 dez 2021 às 16:00
Continua depois da publicidade

O São Paulo entrou no Brasileirão em lua de mel. O fim do jejum de títulos ao conquistar o Paulistão indicava que a equipe seria competitiva na competição nacional. Se não brigasse pela taça, ao menos uma vaga na Libertadores conseguiria. Mas não foi o que aconteceu. Um início muito ruim gerou uma longa briga contra o rebaixamento. Mesmo com a permanência na Série A após a vitória desta segunda (6) sobre o Juventude, o sentimento é de que não há o que se comemorar em 2021.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE


Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

O maior exemplo disso foi visto nas arquibancadas do Morumbi. Desde que o público pôde voltar aos estádios, a torcida são-paulina compareceu em grande número. Contra o Juventude, mais de 40 mil pessoas apoiaram o time durante quase todos os 90 minutos. A exceção foi em dois momentos: a substituição de Liziero, que saiu sob vaias, e uma tentativa falha de firula de Igor Gomes.


Enquanto o São Paulo tentava fechar o placar, a torcida vinha junto. Já nos minutos finais, quando era evidente que o Juventude não se recuperaria do 3 a 1, o clima mudou no Morumbi. Os primeiros gritos de "muito respeito com a camisa tricolor" tomaram as arquibancadas, seguidos por "queremos jogador" e "time sem vergonha".


Mesmo sob protestos, os jogadores se dirigiram ao meio do gramado para aplaudir a torcida. Saíram para o vestiário ouvindo alguns cantarem o hino do clube e outros escolherem seus alvos para xingar.

Continua depois da publicidade


Nas entrevistas depois da partida, nenhuma comemoração. Luciano se diz feliz pela volta após uma cirurgia no punho, mas deixou claro que a temporada não foi como o São Paulo gostaria que fosse.


"A gente tirou o time de muito tempo sem ganhar, veio com boa expectativa no Brasileiro. Não foi o que a gente fez. Vamos descansar, pensar no próximo jogo e na próxima temporada para ser melhor", disse, ao canal Premiere.


A mesma linha foi seguida por Rogério Ceni na entrevista coletiva depois da partida. Depois de agradecer à torcida pelo apoio no duelo decisivo, o treinador disse se sentir triste em ver o São Paulo lutando contra o rebaixamento.


"Não é como eu vejo a história do clube, como eu vejo a vida que eu passei aqui e muitos caras que eu convivi, grandes ídolos que levaram o São Paulo a grandes conquistas. É um momento de baixa, é um momento que é preciso as pessoas terem cabeça tranquila e levarem o clube a um ano melhor em 2022. Claro que esbarra em todas as dificuldades financeiras, como nós falamos, mas tem outros clubes que também têm essas dificuldades e conseguiram fazer grandes contratações e conseguiram levar seus times a lugares inesperados no campeonato", disse.


O São Paulo se despede de 2021 fora de casa. Na quinta-feira (9), a equipe vai a Belo Horizonte enfrentar o América-MG, no que virou um confronto direto por uma vaga nas fases preliminares da Libertadores - as duas equipes estão separadas por dois pontos. A ida para a competição continental pode ser o indício de tempos melhores para um clube que começou a temporada em êxtase e sai dela com dor de cabeça.


Fora de campo, as próximas semanas ainda devem ser tensas. No dia 16, o conselho deliberativo votará a reforma do estatuto do clube, que pode trazer a volta da reeleição para presidente e a diminuição do número de conselheiros. Nas redes sociais, parte da torcida se organizada para protestar nos arredores do Morumbi no horário da votação.

Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo