Pesquisar

Canais

Serviços

- Divulgação/Palmeiras
Entenda

Lesão que tirou Luiz Adriano de 55% dos jogos do Palmeiras é de origem obscura

Diego Iwata Lima - Folhapress
03 set 2021 às 11:43
Continua depois da publicidade
A passagem do Palmeiras pela janela de transferências sem contratações para o ataque seria menos traumática se Luiz Adriano estivesse jogando. Dono de números superlativos pelo clube, o camisa 10 só atuou em 22 das 49 partidas na temporada, um índice de ausência superior a 55%, fruto de uma lesão cuja origem não tem explicação até o momento.


O problema de Luiz Adriano é um edema, ou seja, um inchaço no joelho esquerdo. O inchaço é causado por uma inflamação conhecida cientificamente como sinovite, na membrana do joelho, Sua consequência é o aumento na produção de líquido na região, causando a popularmente conhecida "água no joelho". Além de dificultar os movimentos, a condição traz dores e impede que o jogador consiga treinar, se condicionar fisicamente e ainda mais jogar dentro da normalidade.


Há muitos motivos para o surgimento de um edema, que pode ser decorrente de pancadas, doenças crônicas como artrite reumatoide, osteoartrite ou osteoartrose, gota, hemofilia e esforço repetitivo. Estudos recentes apontam que até mesmo a covid-19, que Luiz Adriano contraiu duas vezes, pode causar edemas crônicos em articulações, num quadro de síndrome pós-contágio. Segundo pessoas familiares ao caso, o edema e as dores no joelho do goleador somem e reaparecem sem um padrão, o que torna difícil fazer um planejamento para mandá-lo a campo.


Tratamentos com corticoides aplicados via infiltrações, por exemplo, podem permitir que o jogador defenda o Palmeiras sem sentir muita dor, com menos inchaço. Mas o procedimento é invasivo e precisa ser comunicado e liberado pela comissão antidopagem. Fisioterapia e repouso também são tratamentos indicados. Mas, como o jogador ficou muito tempo parado antes de voltar a jogar e sentir dores novamente, descanso não parece ser a resposta.


Atacante está inteiro


Palmeiras e estafe do atleta garantem que o centroavante já está recuperado em relação à questão, dentro de sua melhor forma física para jogar. E que não tem entrado em campo por mera escolha da comissão técnica. O prognóstico de que o jogador estava totalmente apto a jogar, no entanto, já foi dado anteriormente, e o problema voltou a acontecer.


A situação foi citada por Abel Ferreira após a vitória sobre o Athletico-PR, no sábado (27). O jogador esteve em campo contra o Fortaleza (7 de agosto), pelo Brasileiro e, dias depois, não reuniu condições para jogar a ida das quartas de final da Libertadores contra o Tricolor (10), tampouco enfrentar o Atlético-MG (14), pelo Nacional. No jogo de volta contra o São Paulo (17), pelo torneio continental, e nos compromissos contra Cuiabá (22) e o próprio Athletico, os três mais recentes do Alviverde, ele esteve no banco, mas não entrou.


Mais do que gols perdidos


Luiz Adriano, que foi artilheiro do Palmeiras em 2020, com 20 gols, fez apenas três nesta temporada -contra o Corinthians, na semifinal do Paulista; contra o Indepediente del Valle (EQU), na Libertadores; e diante da Chapecoense, no Brasileiro. O jogador já não vai às redes há 88 dias, desde 6 de junho, quando o Palmeiras recebeu a equipe de Chapecó no Allianz Parque.


Sem seu centroavante, o Palmeiras perde mais que um goleador. Em 2020, o atacante foi também responsável por quatro assistências, que o colocaram no segundo lugar do grupo em participações diretas para gols, com 24. Perde também um jogador de referência no grupo, já que ele foi um dos seis que disputaram as três finais do time na última temporada.


Com Abel, aliás, ele jogou em todas as decisões, exceto o jogo de ida da Recopa Sul-Americana, quando estava com covid. Não à toa, ele é um dos capitães do técnico no elenco, junto com Felipe Melo, Gustavo Gómez e Weverton. Na terça-feira, Luiz Adriano participou normalmente do treino, na Academia de Futebol.

Continue lendo