Pesquisar

Canais

Serviços

- Reprodução/Instagram
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Surfe

Em Tóquio 2021, Medina usa relógio para não perder tempo nas baterias

Camila Mattoso/Folhapress
26 jul 2021 às 11:56
Continua depois da publicidade

O surfista Gabriel Medina decidiu inovar nas Olimpíadas de Tóquio. Desde que chegou ao Japão, o brasileiro tem levado para o mar um relógio em seu pulso do braço direito, o que quase nunca fez ao longo da carreira.

Continua depois da publicidade


O motivo: não se perder no tempo da prova. Todas as baterias têm duração determinada. No caso dos Jogos, as duas primeiras etapas levaram 30 minutos cada.

Continua depois da publicidade


A decisão de passar a usar relógio tem explicação. Em maio, dois meses antes de viajar ao Japão, Medina foi eliminado de uma competição porque, entre outros motivos, se atrapalhou com o tempo.


O episódio ocorreu nas quartas de final da etapa de Margaret River da Liga Mundial de Surfe (WSL), na Austrália.

Continua depois da publicidade


Depois de ter cometido uma série de erros na bateria contra o havaiano Seth Moniz, precisando de apenas uma nota de 3,84 para virar, o brasileiro não conseguiu uma onda nos minutos finais e se despediu da prova.


Buscando a conquista do ouro olímpico, o que ele tem chamado de "sonho", Medina mostra estar focado e preocupado em não cometer nenhum equívoco.


"Não uso [relógios], não. Mas na minha penúltima competição eu meio que vacilei na bateria, estou tentando acostumar. Não uso [normalmente], mas ajuda", disse nesta segunda-feira (26), após derrotar o australiano Julian Wilson, na praia de Tsurigasaki, em Chiba (cerca de 100 km de Tóquio).


Medina volta ao mar já na noite desta terça (27). A organização das Olimpíadas decidiu antecipar as finais do surfe por conta da possiblidade de chegada de um tufão. A ideia é evitar que os ventos mais fortes atrapalhem a competição.

O surfista brasileiro vai encarar Michel Bourez, da França. Outro representante do Brasil, Italo Ferreira, vai pegar o japonês Hiroto Ohhara. As quartas de final do feminino também acontecem no mesmo dia. Silvana Lima enfrentará a havaiana Carissa Moore.


Continue lendo