Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Conflito étnico

Emirados Árabes impedem entrada de tenista israelense

Agência Estado
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

A tenista número 1 de Israel, Shahar Peer, foi impedida de entrar nos Emirados Árabes Unidos, onde disputaria o Torneio de Dubai, que terá a participação das 10 melhores tenistas do ranking da WTA a partir deste domingo.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

De acordo com os organizadores da competição, Peer, número 48 do mundo, teve o visto negado para entrar na federação, que reúne pequenos emirados na Península Arábica. A atleta deveria enfrentar a russa Anna Chakvetadze, na segunda-feira, pela primeira rodada da competição.

Continua depois da publicidade


O chefe-executivo da WTA, Larry Scott, disse que ficou "profundamente desapontado" com a decisão dos Emirados. "Peer ganhou o direito de disputar o torneio e é lamentável que os Emirados Árabes Unidos esteja negando esse direito a ela", declarou.


Os Emirados não mantêm relações diplomáticas com Israel, mas atletas israelenses tem conseguido entrar na federação para eventos esportivos e de negócios usando passaportes de outros países. Em algumas ocasiões, israelenses tiveram a entrada permitida para reuniões da ONU ou outras agências internacionais.


No caso de Peer, não se sabe se ela viajaria com passaporte israelense. Oficiais dos Emirados não comentaram a decisão. No ano passado, a tenista rompeu barreiras no Catar, ao ser a primeira mulher israelense a disputar um torneio da WTA no Golfo Pérsico.

Continua depois da publicidade


"Peer e sua família estão extremamente chateados e desapontados com a decisão dos Emirados Árabes Unidos e com os efeitos dessa decisão em sua vida pessoal e profissional", declarou Larry Scott.


O chefe da WTA também disse que o torneio será aberto neste domingo, como estava programado, mas destacou que os dirigentes da entidade vão "avaliar ações apropriadas em relação ao futuro do Torneio de Dubai".

"A WTA acredita fortemente e tem regras e políticas claras segundo as quais nenhum país sede deve negar o direito de competir a nenhum jogador, desde que o atleta possua ranking suficiente para participar", esclareceu Scott.


Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade