Pesquisar

Canais

Serviços

Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Final histórica

Nadal bate Federer em jogo de 4 horas e meia

Agência Estado
31 dez 1969 às 21:33
Continua depois da publicidade

Numa reedição das finais de Wimbledon e Roland Garros de 2008, o espanhol Rafael Nadal, número 1 do mundo, superou o suíço Roger Federer, neste domingo, e se sagrou campeão do Aberto da Austrália, o primeiro Grand Slam do ano. Nadal venceu o rival por 3 sets a 2, com parciais de 7/5, 3/6, 7/6 (7/3), 3/6 e 6/2, em uma batalha de 4 horas e 22 minutos.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

É o sexto título de Grand Slam de Nadal, que já venceu quatro vezes em Roland Garros. Agora, o "rei do saibro" voltou a mostrar versatilidade e obteve uma conquista em piso rápido, depois de derrotar Federer na decisão de Wimbledon em 2008, na grama. Já o suíço, número 2 do ranking, sofreu a terceira derrota em final de Grand Slam para o rival e ainda viu ser adiado o seu sonho de igualar o recorde de 14 títulos de Grand Slam do norte-americano Pete Sampras.

Continua depois da publicidade



A partida foi marcada 35 chances de quebra e pelas impressionantes jogadas de Nadal, que voltou a mostrar bom preparo físico apesar da maratona de 5 horas e 14 minutos na semifinal, finalizada somente nas primeiras horas do sábado. Os atletas protagonizaram belos pontos e justificaram mais uma final de Grand Slam e a liderança incontestável do ranking da ATP.



Federer começou sacando mal e Nadal não perdoou, definindo a quebra logo no primeiro game do jogo. O suíço se recuperou na sequência e também se impôs no saco do adversário. O set ainda teve mais uma quebra de serviço para cada tenista até que o espanhol aproveitou uma dupla falta do rival para passar a frente e fechar a parcial no game seguinte em 7/5, após bela troca de bolas entre os dois jogadores.


O segundo set teve início mais equilibrado, sem quebras. Federer ainda teve uma chance de quebra, mas Nadal afastou a possibilidade com o seu primeiro ace na partida. O espanhol não demonstrava desgate físico e, como de costume, não desistir de nenhuma bola.

Continua depois da publicidade


O set foi equilibrado até Nadal passar a evitar trocas de bolas mais longas para se poupar. Como consequência, passou a arriscar mais winners e arrancou uma quebra de serviço. O suíço reagiu de imediato e obteve duas quebras, abrindo vantagem para decidir o set em 6/3.



O terceiro set foi o mais equilibrado, sem quebras. Federer cometeu menos erros do que nas parciais anteriores, mas não aproveitou seis oportunidades para se impor no saque de Nadal. Os dois jogadores tinham bastante dificuldade para confirmar os seus serviços, até chegar ao tie break. Em nova dupla falta do suíço, número 1 do mundo fechou em 7/3 e abriu 2 sets a 1.



Federer não se abateu com a vantagem do rival e aplicou uma quebra logo no primeiro game do quarto set. Nadal empatou na sequência e não deixou o adversário crescer no jogo. O suíço caiu de produção e parecia mais cansado que o espanhol, que buscava as bolas mais improváveis.


Mais acomodado, Federer parecia não acreditar nas bolas que o adversário conseguia devolver. Mas se recuperou e aproveitou erros seguidos no game seguinte para fazer 4 a 2 e encaminhar a parcial, fechada em 6/3. Como na decisão de Wimbledon em 2008, os dois tenistas foram decidir o título no quinto set.

Nadal conseguiu uma quebra no quarto game e conquistou a vantagem que o levou ao seu primeiro troféu no Aberto da Austrália. A vantagem do espanhol abalou Federer, que seguiu cometendo erros - foram 64 contra 41 de Nadal - e facilitou os games seguintes para o número 1 do mundo. O espanhol apenas administrou o jogo para faturar o seu 32.º título na carreira.


Veja mais vídeos sobre esportes

Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade