Pesquisar

Canais

Serviços

- fotos: Paulo Monteiro
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade

Ma quem quer dinheiro, oe? Mega ‘boladona’ empolga londrinenses

Paulo Monteiro
NOSSODIA
31 dez 2015 às 10:23
Continua depois da publicidade


Com o custo de apenas R$ 3,50, o brasileiro sonha acordado com o prêmio de R$ 280 milhões da Mega-Sena da Virada. A aposta pode ser realizada até as 14 horas deste 31 de dezembro, dia também do sorteio, marcado para as 20 horas (horário de Brasília), com transmissão ao vivo pela TV aberta. Prêmio que não acumula. Caso ninguém complete a faixa principal de seis dezenas, a premiação deve ser dividida entre as pessoas que acertarem os cinco números. Em Londrina, a bolada leva milhares de pessoas para as lotéricas. O NOSSODIA não perdeu tempo e também seguiu o caminho da sorte para ouvir dos apostadores os sonhos que realizarão com tanto dinheiro na conta.
Em grande parte das respostas, o londrinense mostra que está com o coração mais sensível nesta época do ano e não se esquecem dos mais carentes. Afirmam até que gastariam parte dos R$ 280 milhões com os mais necessitados. É pagar pra ver.
"Com certeza, a primeira coisa que me vem a cabeça é o mais humilde. Dedicaria parte desta fortuna com os mais pobrezinhos. Ai, depois, eu ia pensar em comprar casas e até alguns carrões", revela a dona de casa Iraci Silva, moradora da região Central que fez apenas uma aposta. "O problema é que não tenho sorte. Jogo na Mega-Sena há um bom tempo, mas até hoje nunca ganhei", relata Iraci, com a esperança que desta vez ficará milionária.
Policial civil aposentado, Odair Vitor Silva deixou a cidade de Jataizinho para fazer em Londrina suas apostas. Assim como Iraci, Odair revela que ajudaria os mais pobres. "Principalmente os meus parentes mais carentes, que estão enfrentando problemas financeiros." Porém, diferente de Iraci, ele se considera um apostador "pé quente". Inclusive já recebeu prêmios da antiga Sena, anos atrás. "Sempre joguei e numa oportunidade ganhei R$ 700, após acertar a quadra", relembra Odair, que levou o filho Vitor, de 10 anos, para dar sorte na hora de preencher o bilhete com as seis dezenas. "Se eu ganhar, vou repartir o dinheiro com os meus filhos e, com certeza, comprarei um carrão. Gostaria de viajar, mas jamais irei de avião. Tenho trauma após passar por turbulência durante uma viagem", diz o aposentado.

José Ronaldo quer começar 2016 com a conta bancária transbordando
José Ronaldo quer começar 2016 com a conta bancária transbordando


"Eu ia sumir daqui"
Após ser questionado sobre o que faria com parte dos R$ 280 milhões, o caminhoneiro Luiz Mestre surpreende: "Eu ia sumir daqui, com certeza. Ninguém ia me achar", afirma ele, ao lado da professora Terezinha Salete Cedulski, que se considera uma apostadora de "pé frio": "nunca ganhei nem na Tele Sena, Vale Sorte. Mas, como faço em todos os anos, resolvi outra vez arriscar na Mega-Sena. Pelo menos não ficarei arrependida caso saia os meus números", conta Terezinha.
Já o frentista José Ronaldo Cerrano, morador do Jardim São Pedro, Zona Leste de Londrina, está confiante e se prepara para começar 2016 com a conta bancária transbordando. "Tem que estar com o pensamento positivo. Desta vez não passa. Já acertei a quadra anos atras, que na época pagou apenas R$ 600. Espero que desta vez, na Mega-Sena da Virada, eu consiga levar um pouco mais de dinheiro (risos)", espera Cerrano. (P.M.)

Apostas quadruplicam
O proprietário de uma lotérica na região central de Londrina, o empresário Lauro Sato conta que os apostadores deixam para a última hora o jogo da Mega-Sena. "Faz parte do brasileiro, né. O povo sempre deixa para a última hora para jogar. Todo ano é assim. A semana começa tranquila, mas quando chega no último dia (quinta), a quantidade de pessoas dentro da lotérica quadruplica", explica ele. "Diariamente, atendemos entre 100 e 200 clientes. Já no último dia, chega a mil apostadores", detalha o empresário.
Sato afirma que sua lotérica dá sorte ao apostador. Segundo ele, três pessoas foram premiadas nas loterias no local em 2015. "Tivemos apostas sorteadas aqui em maio, junho e julho deste ano", destaca ele. (P.M.)


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade