10/12/19
º/º
PUBLICIDADE

Nossa crônica

Perfume da memória

O perfume é o tempo a nos ensinar que as efemeridades da vida vão e vêm a cada vez que o vento nos traz de presente uma fragrância que desperta as mais inusitadas sensações. O cheiro da terra molhada, em dias nos quais a chuva vem encontrar o solo árido, desperta em mim as lembranças de tardes da infância. Época em que o sol era bilhete de entrada para as brincadeiras na rua e a menor gota de chuva vinha anunciada com o grito materno: ‘entra, está chovendo!’ O aroma da cozinha quando a massa do bolo está assando é o sim que a memória precisa para fazer viver a lembrança das crianças ansiosas para que a guloseima seja logo servida. O café logo ao amanhecer invade o ambiente e deixa a mente invadida pelas reminiscências de um outro ambiente e de uma outra época. Dentre os cremes que já usei para passar na pele, há um que desperta as lembranças do coração. Basta um movimento e a pele faz reviver a doce presença do amor. Cheiros são pedacinhos de memória, são pedacinhos de possibilidades que permitem reviver a magia do instante, a alegria de uma época e ter a presença daqueles que não mais comigo estão. Quando o dia amanhecer cinza e o aroma da vida se fizer pesado, busque no perfume da memória um caminho para reviver as sensações as quais permitem concluir que a vida vale cada instante e a fugacidade do tempo se renova nos instantes marcados pelo perfume do coração.
Por Cláudia Bergamini
PUBLICIDADE
comentários
Continue lendo

Síndico profissional

Sonhos

Pilhas

Humor

Inep vai divulgar notas do Enem

Santo do dia

Santo Antão

Veja mais e a capa do canal
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE