Pesquisar

Canais

Serviços

- iStock
Continua depois da publicidade
Continua depois da publicidade
Previna e trate

Saiba os riscos da hipertensão para os pets

Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
06 set 2019 às 08:58
Continua depois da publicidade

Os pets podem sofrer de pressão alta. Não há muita diferença em relação aos humanos, porém nos animais a hipertensão surge concomitante a outras doenças (cardíacas, endócrinas, renais). Não raro a doença só é notada quando o pet passa por consulta médica, Os pets mais idosos são os que mais sofrem com hipertensão, mas a doença pode atingir qualquer idade.

Continua depois da publicidade
PUBLICIDADE

Nos cães a pressão alta normalmente aparece com quadros de diabetes melitus, doença renal crônica, hiperadrenocorticismo e obesidade, entre outras afecções. Já nos gatinhos a doença renal crônica, hipertireoidismo e cardiopatia estão entre os principais desencadeares da hipertensão.

Continua depois da publicidade


A hipertensão ocorre quando o nível de pressão sanguínea se eleva nos vasos e artérias sanguíneas. Chamada de "doença silenciosa", também nos animais, a hipertensão não se mostra facilmente. Não raro é detectada apenas quando o pet passa por consulta com o veterinário.


Médica do Centro Veterinário Seres do Grupo Petz, Larissa Seibt, alerta aos tutores ficarem atentos aos sinais de possíveis mudanças de comportamento. "O animal hipertenso pode ficar mais cansado e apresentar fraqueza. Também pode apresentar tosse e dificuldade em respirar. Dependendo do nível da hipertensão, os bichinhos chegam a sentir tontura e podem até desmaiar. Isso é muito perigoso! Eles, podem apresentar sinais inespecíficos como beber mais água e fazer mais xixi. Podendo algumas vezes ocorrer sangramento nas narinas e alterações oculares. Nos cachorros, principalmente, a hipertensão prejudica muito a retina e pode causar lesões e até cegueira. É preciso prevenir a doença e o agravamento dela fazendo a aferição da pressão periodicamente", adverte Seibt.


Como Prevenir?

Continua depois da publicidade


A cada três meses, pelo menos, o tutor precisa garantir a aferição da pressão arterial do animal para controle da evolução do quadro. O ideal é que a medição e controle sejam feitos em consultórios veterinários com equipamentos precisos e métodos eficazes.


Como tratar?


Seu pet é sedentário? Está acima do peso?


Como os humanos hipertensos, os pets hipertensos precisam mudar o estilo de vida e hábitos alimentares. "De acordo com o fator desencadeador, podemos utilizar medicamentos e adotar rações terapêuticas. Exercícios e dietas são importantes no controle da hipertensão. Mas é preciso definir quais tipos de exercícios e qual dieta analisando todo o histórico de saúde do paciente", pondera Seibt.

Existem rações especiais para animais hipertensos com baixo teor de sódio. Os tutores hipertensos devem reduzir o sal da dieta. Com os animais não é diferente.


Continue lendo

Últimas notícias

Publicidade