06/08/20
25º/13ºLONDRINA
PUBLICIDADE
Entenda

Saiba o que é o coronavírus canino e como proteger seu pet

A chegada do novo coronavírus e o isolamento do cachorro de uma paciente em Hong Kong provocam apreensão entre tutores de animais de estimação. Será que cães e gatos também podem contrair a doença?

Reprodução/Pixabay
Reprodução/Pixabay


Não há evidências de que os pets possam ser infectados ou transmitir a Covid-19 aos humanos, diz a OMS (Organização Mundial da Saúde). Essa família de vírus, no entanto, já é bem conhecida no meio veterinário.

Segundo o veterinário Marcelo Quinzani, da PetCare, o coronavírus canino causa diarreia em cães e o coronavírus felino causa peritonite, mas não são transmitidos aos seres humanos.

Para a coronavirose canina existe vacina - conhecida como V8 ou V10 -, e a doença não requer muitos cuidados. No caso da coronavirose felina, que causa a peritonite infecciosa felina - a PIF -, não existe vacina, mas a doença é restrita a esses animais.

Perguntas e respostas

A veterinária Caroline Mouco, do Hospital Vet Popular, afirma que o diagnóstico precoce facilita o tratamento, mas filhotes, animais idosos ou com deficiência imunológica correm riscos.

Cães podem ser imunizados, mas a higiene do ambiente também é importante para a prevenção, disse ela ao blog. Confira:

O que é o coronavírus canino e quais são os sintomas?

O coronavírus canino, chamado cientificamente de CCoV, diferentemente do coronavírus causador da Sars ou Mers, tem como sintomas diarreia e vômitos. Caso não tratado, as consequências são desidratação, prostração e podem levar a óbito, principalmente quando associados a outras doenças. A contaminação ocorre por via oro-fecal, de cão para cão, deixando filhotes, idosos ou animais imunodeprimidos mais suscetíveis.

Qual é o tratamento?

O tratamento consiste em dar suporte para o cão afetado, estabilizando os sintomas e fortalecendo o sistema imunológico para que este combata o vírus, já que não há um remédio que combata diretamente este agente.

Qual é o risco para o animal?

O risco se agrava quando se trata de filhotes, animais idosos ou imunossuprimidos. Outro fator complicador é quando a coronavirose surge juntamente com outra doença, como a parvovirose. Nesse caso, o [risco de] óbito é maior. Porém, quando diagnosticado previamente, aumenta consideravelmente as chances do paciente.

Há como prevenir a doença?

Sim. A vacina múltipla, conhecida como V10 ou V8, previne os cães da coronavirose canina. Ainda assim, cães vacinados podem apresentar a doença, mas em uma gravidade consideravelmente menor, caso isso ocorra. Outra maneira que deve ser conciliada com a vacina é a higiene no ambiente, evitando fezes expostas e o contato do cão com fezes de outros cães. O uso de desinfetantes é fundamental para a prevenção.

Alguma raça está mais suscetível à doença?

Não há raças com incidência maior. Isso só é maior em filhotes, idosos e imunossupremidos.

Há transmissão para humanos?

Não, o coronavírus canino não passa para os humanos. O coronavírus possui diversas cepas, e o canino CCoV em nada se assemelha com o Sars ou Mers.

Gatos também são afetados?

Para os gatos o coronavírus seria FECV e o FIPV, nenhum transmissível para o humanos, apenas entre felinos. Tem seus sintomas ligado com diarreia e vômito também. Assim como o canino, não se relacionando com problemas respiratórios.

Há risco de o novo coronavírus ser transmissível para animais?

A cada dia novas descobertas estão sendo feitas. Sabe-se que animais silvestres podem ter relação com a transmissão para os humanos, o inverso não há relatos. O que há de fato é que o coronavírus chinês que ataca o sistema respiratório inicialmente, pode ter seu risco de infecção diminuído com hábitos básicos de higiene, como evitar contato com outras pessoas doentes, lavar as mãos com frequência, utilizar álcool gel e evitar aglomerações.

Entre humanos

Nesta sexta (28), a OMS (Organização Mundial da Saúde) elevou a ameaça internacional do coronavírus para muito alta. O aumento de casos e de países afetados causa preocupação, afirma Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da entidade.

Para os humanos, as dicas para evitar a doença são lavar as mãos com frequência, cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar e manter distância de ao menos dois metros de pessoas que estejam tossindo ou espirrando e evitar tocar nos olhos, no nariz e na boca.
Lívia Marra - Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Conteúdo relacionado:
Fofa!
Conheça Rae, a cachorrinha que nasceu com apenas uma orelha
Saiba mais!
Veterinários não indicam banho cosmético para gatos
Como que pode?
Influenciadora lambe vaso sanitário de avião em 'desafio do coronavírus' e é criticada na web
Continue lendo
Entenda
Diretoria decide retirar comedouros para cachorros da maternidade municipal de Londrina
06 AGO 2020 às 09h04
Forças de Segurança
Cadela farejadora do Canil de Arapongas é destaque em ações policiais no município e na região
05 AGO 2020 às 10h59
Preservação
Escolhido para ilustrar a cédula de R$ 200, lobo-guará sofre com o avanço do desmatamento no Cerrado
05 AGO 2020 às 08h56
Veja a história
Nala, gata com maior número de seguidores no Instagram, é uma vira-lata adotada em abrigo
04 AGO 2020 às 11h07
Saiba como prevenir
Entenda os perigos da leishmaniose para os animais
04 AGO 2020 às 09h07
Veja as fotos!
Confira imagens de pets que são parecidos com personagens
03 AGO 2020 às 11h15
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados