06/05/21
PUBLICIDADE
Cuidado e atenção

Cirurgia bariátrica é muito segura quando os riscos são minimizados

Após a morte de Pedro Paulo Domingues após passar por uma cirurgia bariátrica, ex-participante do reality show Além Do Peso, da emissora Record TV, acendeu um sinal de alerta sobre o procedimento. Ainda não foram divulgadas as causas que levaram Pedro a óbito, mas muita gente passou a questionar a cirurgia que devolve qualidade de vida e saúde a milhares de brasileiros. O médico Cid Pitombo faz uma série de alertas sobre como minimizar o aparecimento de complicações.

"A cirurgia bariátrica é muito segura, principalmente quando há um pré-operatório bem feito e as eventuais doenças de base que o paciente tenha estejam estabilizadas", afirma dr. Cid Pitombo.


O risco de morrer de um procedimento bariátrico varia entre 0,2 e 0,5%. É muito baixo, mas o especialista destaca o que precisa ser observado:

Avaliação cardiopulmonar: precisa ser rigorosa, muito bem feita
Para evitar trombose: verificar doença vascular sobretudo dos membros inferiores
Diabetes: controle máximo da glicemia
Psicológico: paciente precisa estar preparado para as restrições da dieta pós-operatória
Mobilidade: avaliar em que estado o paciente encontra-se

"O segredo do sucesso é a boa estrutura oferecida, o doente estar bem avaliado e a equipe cirúrgica estar bem preparada para o procedimento. Se esta lista for seguida não há problema na cirurgia de alta complexidade. Por isso que a gente trabalha no SUS com uma equipe multidisciplinar, que avalia todas as questões clínicas e emocionais do paciente. Não é raro recomendarmos uma dieta antes da cirurgia, para chegar aos melhores níveis para a operação. Por isso que nosso é resultado é tão positivo", destaca o cirurgião Cid Pitombo.

Quem pode operar
Paciente que tiver Índice de Massa Corpórea dentro do indicado, maior que 40kg/m² ou maior que 35kg/m², quando associado a fatores de comorbidade, como hipertensão e diabetes, entre outros), que preencham os pré-requisitos do Ministério da Saúde e não tiverem doenças graves associadas são avaliados, preparados e operados. A equipe do médico Cid Pitombo também acompanha todo o pós-operatório especializado, com orientações de nutricionista, psicólogo e avaliação periódica pelo cirurgião.

"A gente opera uma população de muito baixa renda que tem uma dificuldade enorme de lidar com o problema da obesidade, desenvolvem uma diversidade de doenças e não conseguem emprego. A partir do momento que eles são operados, eles voltam pra vida. ", disse o médico.
Redação Bonde com Assessoria de Imprensa
Continue lendo
Entenda!

Planos de saúde dizem que internações de pacientes jovens elevaram custo de UTI

06 MAI 2021 às 15h34
Sputnik Light

Rússia aprova nova versão da vacina Sputnik V de dose única

06 MAI 2021 às 14h42
Atualização

Enfermarias Covid-19 estão 45% ocupadas no HU de Londrina, mas UTI para o vírus atinge 99% de uso

06 MAI 2021 às 11h57
Zé gotinha

Crianças de 06 meses a 5 anos se vacinam contra gripe em Rolândia nesta quinta e sexta

06 MAI 2021 às 11h16
Mais um grupo

Gestantes com comorbidades se vacinam neste sábado em Cambé

06 MAI 2021 às 10h03
Coronavírus

Brasil registra 2.791 mortes por Covid em 24 horas

06 MAI 2021 às 09h22
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados