23/09/20
°/°
Proteção contra H1N1

Excesso de álcool gel pode causar lesões na pele

Devemos lembrar que o uso indiscriminado de produtos abrasivos em contato com a nossa pele, pode gerar sérios problemas dermatológicos

Há meses a mídia vem dando destaque para a onda de gripe suína no Brasil e pelo mundo. Devido à eminente ameaça de pandemia, foram iniciadas diversas campanhas de prevenção da doença, com esclarecimentos à população sobre os métodos existentes para nos proteger do contágio pelo vírus H1N1. Destaca-se dentre os cuidados recomendados nesse caso, a importância do hábito de mantermos as mãos constantemente limpas, lavando-as com água e sabão, ou as esterelizando com álcool em gel, diversas vezes vezes ao dia.

Indicado por médicos infectologistas como uma das formas mais eficientes de se combater a transmissão do virus H1N1, pouco ou nada se ouve falar ou se lê, sobre os males que pode causar o uso e exagerado do álcool em gel, ocasionando, inclusive, algumas lesões na pele.


Devemos lembrar que o uso indiscriminado de produtos abrasivos em contato com a nossa pele, pode gerar sérios problemas dermatológicos. O médico Valcinir Bedin dá dicas para cuidados gerais e diários com as mãos, não apenas para nos protegermos da H1N1, como também para mantê-las com aparência sempre jovem e saudável, em todas as ocasiões.

1) O uso em excesso do álcool em gel pode ressecar a pele, especialmente das crianças, que são mais sensíveis. É preferível usar água e sabão para lavar as mãos de crianças.

Devemos optar pelo uso do sabão neutro, pois o sabão amarelo é feito à base de soda cáustica e pode causar algum problema dermatologico nas mãos.

2) Também não devemos misturar o uso do álcool em gel com o sabão amarelo, pois esta combinação agride a pele.

3) Para evitar que a pele fique ressecada pelo uso do álcool em gel é recomendado o uso de cremes hidratantes duas vezes ao dia.

4) Aplicar pequenas gotas do gel nas mãos é o suficiente, não precisamos exagerar na dose, assim manteremos a saúde de nossas mãos.

5) Se faz necessário o revezamento do álcool em gel com outros produtos, também eficazes na higienização , como os sabonetes, que agridem menos a pele.

6)Em se tratando de álcool, o mais indicado para uso contínuo e permanente é a solução com 70% de álcool e 30% de água.

Já no caso do sabonete, o mais indicado para manter as mãos livres dos germes, sem ressecar a pele, é o sabonete de glicerina.

Cuidados diários com as mãos, em qualquer ocasião:

- Uso de filtro solar com proteção ampla pela manhã.

A proteção diária é essencial para evitar as chamadas manchas senis que tendem a aparecer nas pessoas de pele clara, por volta dos 40 anos. Neste caso a proteção precisa ser em relação a luz ultravioleta A e ultravioleta B, para evitar o fotoenvelhecimento precoce.

- A hidratação é fundamental para manter a qualidade da pele das mãos, principalmente, se houver manipulação de agentes químicos; quando o uso rotineiro de luvas é recomendado.

Os hidratantes devem ter substâncias que mantenham a água na pele e também promovam um filme protetor como: uréia, sorbitol, ácido hialuronico, alantoina, silicones, óleos vegetais, vitamina E entre outros. O hidratante pode ser usado em toda a mão, inclusive nas unhas várias vezes ao dia. Para melhorar a hidratação, colocar luva plástica após o creme, permanecendo com a mesma durante 2 horas ou mais, pois através do aumento de temperatura o creme irá proteger mais.

Os mesmos cremes utilizados para o tratamento do envelhecimento do rosto podem ser usados para as mãos.

Tratamento para as mãos:

As manchas senis, tão indesejáveis para as mulheres começam a aparecer por volta dos 40 anos e podem ser tratadas por diversos tipos de substâncias ou procedimentos:

- Aplicação de nitrogênio líquido – substância química que causa queimadura pelo frio

- Ácido tricloroacético – em apresentação líquida ou em forma de pasta que irá provocar a formação de crosta e descamação.

- Laser, aparelho capaz de emitir luz que provoca queimadura local. Hoje ele é o tratamento mais especifico para as manchas senis. A luz do laser tem como alvo a cor marrom e atinge somente a mancha, sem queim ar o restante da pele. De uma maneira geral, todas estas substâncias provocam um tipo de queimadura levando a formação de crosta. Esta "casquinha" deve cair após 8-12 dias quando a pele ainda permanece avermelhada por alguns dias. Nos dias subseqüentes ao tratamento a pele deve ser protegida do sol, e a noite tratado com pomada de antibiótico. O clareamento ocorre em cerca de 15 dias.
Redação Bonde
Continue lendo
Coeficiente de mortalidade
Mortalidade pelo novo coronavírus em Arapongas é quase o dobro de Londrina
22 SET 2020 às 20h54
Vale do Ivaí
Apucarana registra primeiro óbito por dengue do novo período epidemiológico
22 SET 2020 às 20h45
Boletim da pandemia
Londrina tem mais três mortes e 291 casos de Covid-19 confirmados
22 SET 2020 às 19h31
Boletim diário
Paraná divulga 2.165 confirmações e 39 mortes pela Covid-19
22 SET 2020 às 17h54
Boletim da pandemia
Maringá registra três novas mortes pela Covid-19 e 116 casos confirmados
22 SET 2020 às 16h28
Saiba mais
Cirurgia bariátrica pode afetar qualidade dos espermatozoides, diz estudo
22 SET 2020 às 10h45
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados