02/03/21
PUBLICIDADE
Coronavírus

Avião que buscará 2 milhões de doses da vacina de Oxford tem voo adiado

Pixabay
Pixabay

O avião da Azul fretado pelo Ministério da Saúde para buscar 2 milhões de doses da vacina de Oxford na Índia foi adiado. Ele sairá do Brasil na sexta-feira (15), às 23 horas.

O avião estava previsto para sair do país às 13h desta quinta-feira (14) com destino a Recife, em Pernambuco, onde iria partir direto para a cidade indiana de Mumbai. Agora, ele saíra da capital pernambucana somente na sexta-feira (15).


"O avião da companhia aérea Azul começará sua rota para buscar os dois milhões de doses da vacina contra a Covid-19 na Índia às 15h30 desta quinta-feira (14), decolando do Aeroporto de Viracopos, em Campinas, São Paulo, com escala ao Aeroporto de Guararapes, em Recife. A partida da cidade pernambucana para Mumbai, na Índia, foi reprogramada em algumas horas por questões logísticas internacionais e continua seu plano de voo nesta sexta-feira (15), às 23h", disse a pasta em nota.

A data de retorno do avião ao Brasil, com a carga de vacinas estimada em 15 toneladas, ainda está sendo avaliada de acordo com o andamento dos trâmites da operação de logística feita pelo governo federal em parceria com a Azul.

Antes do adiamento da viagem, as vacinas estavam previstas para chegar ao Brasil no próximo sábado (16) pelo Aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro.

O imunizante da AstraZeneca e Universidade de Oxford foi adquirido pelo Ministério da Saúde junto ao laboratório indiano Serum para garantir o início da vacinação dos brasileiros de forma simultânea e gratuita. A vacina será usada para o uso emergencial nos estados.

As negociações para que a Fiocruz pudesse importar as 2 milhões de doses já prontas começaram em dezembro. A medida foi a alternativa encontrada pelo governo para antecipar o início da estratégia com a vacina de Oxford, uma das principais apostas do governo para a vacinação em massa.

Até então, a Fiocruz previa entregar, em 8 de fevereiro, as primeiras doses de um acordo que envolve produzir 100,4 milhões no primeiro semestre.

Apesar de serem 2 milhões de doses que serão trazidas ao Brasil, segundo integrantes do Ministério da Saúde, a carga é pequena. Bastariam em torno de sete pallets para carregar o material. Há necessidade de atenção, de acordo com técnicos da pasta, com as condições de armazenamento –no dia a dia, a a vacina de Oxford exige temperaturas de 2 a 8 graus Celsius.

As vacinas da Coronavac, produzida pelo laboratório Butantan, por exemplo, foram transportadas ao Brasil por um Boeing 777F da Turkish Airlines.
Raquel Lopes - Folhapress
PUBLICIDADE
PUBLICIDADE
Continue lendo
Dois novos óbitos

Rolândia chega a 100 mortes em decorrência da Covid-19

01 MAR 2021 às 20h45
Boletim

Maringá registra mais cinco mortes pela Covid-19 e 415 casos

01 MAR 2021 às 19h52
Boletim diário

Londrina atinge 701 óbitos em decorrência da Covid-19

01 MAR 2021 às 19h52
Boletim

Mais 3.196 casos de Covid-19 são registrados no Paraná; 401 mil doses da vacina aplicadas

01 MAR 2021 às 19h52
Saiba mais

'Não errei nenhuma', diz Bolsonaro ao insistir em tratamento precoce e em críticas a isolamento

01 MAR 2021 às 15h25
Oeste

Hospital de Cascavel usará aparelhos de zoológico para tratar pacientes com Covid-19

01 MAR 2021 às 11h55
Veja mais e a capa do canal
JORNAIS
Folha de Londrina
TELEVISÃO
MultiTV Cidades
OUTRAS EMPRESAS
Grafipress
RSS - Resolução máxima 1024x728 - () - Bonde - Todos os direitos reservados